Fundhas do Alto da Ponte realiza visita ação solidária em asilo

A vivência de valores humanos como solidariedade, respeito e união é o principal foco do projeto de voluntariado educacional que envolveu adolescentes da Unidade Karla Pryscila da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) em uma ação especial na tarde desta sexta-feira (30).

Um grupo de 30 alunos, com idades entre 13 e 14 anos, se reuniu para um gesto solidário em prol dos idosos do asilo Santo Antônio, no centro de São José. Meninos e meninas prepararam apresentações culturais e artísticas e levaram doações para alegrar a tarde dos velhinhos.

Porém, maior do que o gesto de doar itens de higiene ao asilo, a doação de afeto, atenção e tempo foi a grande lição que emocionou alunos e educadores. Aos poucos, os adolescentes foram deixando de lado a timidez e interagindo com os idosos, que assistiram a apresentações de dança contemporânea e balé, lideradas pela educadora Kryscilan Baccarin, e música com voz e violão de alunos orientados pelos mestres, Fernando Castro e Ricardo Santos.

“Aqui aprendo sobre escolhas saudáveis para o meu futuro, como a experiência de hoje, que não será esquecida, foi muito boa para nós e para eles”, disse Marcos Vinicius Alves dos Santos, 12 anos.

“Meu coração está feliz em estar aqui, estamos aprendendo muito com eles e vice-versa, respeito e carinho faz bem para todos nós”, contou emocionada a aluna Emily Evelyn de Souza, de 14 anos.

Inteligência emocional e habilidades para vida

A ideia de visitar o asilo surgiu após uma percepção comum entre os adolescentes: a maioria mora junto ou convive diariamente com os avós. “Um dos pontos que falamos foi sobre aprender a ser bom, levantamos várias possibilidades e tivemos a ideia de visitar o asilo para oferecer uma tarde agradável. Todos se envolveram na ação, superando nossas expectativas”, explicou a professora Joseli de Fátima Ribeiro Marques, professora na Fundhas há 14 anos do eixo de Promoção de Saúde e Cidadania.

A ação faz parte do encerramento do programa Lions Quest que, por meio de reflexões, debates e atividades didáticas contribui para o desenvolvimento de inteligência emocional e habilidades positivas para a vida. O projeto enriquece também a proposta socioeducativa da instituição auxiliando na formação integral e emancipação social dos alunos atendidos. Atualmente, o programa beneficia cerca de 290 crianças e adolescentes de oito unidades da Fundhas. Em 2019, o projeto irá atender 100% dos alunos da instituição, com idades entre 6 e 15 anos.

A gente trabalha habilidades, com nossos adolescentes, e a conclusão prevê um projeto de voluntariado educativo. A ideia é criar um vínculo com a comunidade para que os alunos olhem ao redor deles e pratiquem as habilidades trabalhadas no processo”, disse a professora.

Ex-aluna e agora professora

“Sou fruto de um trabalho social que deu certo, em meio a tantos desafios que sabemos que existem, mas projetos assim funcionam. Quando voltei para a Fundhas não foi por dívida, mas por gratidão e reconhecimento por tudo que tive”. O exemplo para a prática de habilidades socioemocionais e inteligência emocional está mais próximo dos adolescentes do que eles imaginam, este é o depoimento da educadora Joseli.

Ela já foi adolescente da Fundhas em um projeto que previa estágio a estudantes do magistério e, atualmente, a professora é responsável pelo Lions Quest no Alto da Ponte, ligado ao eixo de Promoção da Saúde e Cidadania.

Grupo de adolescentes preparou tarde de apresentações artísticas e culturais, regada de carinho e afeto aos idosos – Foto: Divulgação
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons