Fim do suporte ao Windows 7: dicas para quem quer atualizar ou continuar com o software

Sistema deixará de receber atualizações no ano que vem e especialista explica tudo o que usuário precisa considerar sobre a questão

Um dos sistemas operacionais (SO) mais populares da história está chegando ao fim de sua vida útil. Lançado em 2009, o Windows 7 só foi perder a liderança dos softwares mais usados em computadores no fim do ano passado, de acordo com pesquisa da consultoria Net Applications. No primeiro trimestre de 2019 veio a confirmação de que o SO seria definitivamente deixado para trás. A Microsoft anunciou que dará fim ao suporte para o sistema no ano que vem e recomenda aos usuários a atualização para o Windows 10.

O fim do suporte ao Windows 7, que ocorrerá em 14 de janeiro de 2020, significa que o sistema não receberá mais atualizações de segurança, por exemplo. Além do aumento da vulnerabilidade do computador, o fato pode fazer com que programas deixem de funcionar em máquinas que possuírem essa versão desatualizada.

A especialista em infraestrutura de TI e CEO da it.line, Syvlia Bellio, explica que usuários poderão continuar usando o software sem suporte. Contudo, estes computadores ficarão sem uma cobertura de suporte da Microsoft.

“As empresas consertam seus sistemas operacionais com patches de correção, que são lançados frequentemente. É importante dizer que os computadores com Windows 7 não pararão de funcionar. O que vai acontecer é que eles  ficarão desprotegidos e  menos funcionais”, pontua.

Atualização de sistema operacional

Sylvia afirma que o usuário que ainda possui um Windows 7 precisa considerar algumas questões caso ele queira migrar para o Windows 10. São duas as opções disponíveis neste caso: atualizar o sistema operacional ou comprar um computador que já venha atualizado.

Sobre a primeira opção, a especialista lembra que não é qualquer computador que consegue rodar a versão mais nova do SO da Microsoft. Estão entre os requisitos mínimos exigidos para que a máquina seja atualizada:

– Processador de 1 gigahertz (GHz) ou um sistema em um chip (SoC)

– 1 GB de memória RAM;

– 16 GB de espaço em disco rígido (HD);

– Placa gráfica Directx 9;

– Monitor de 800×600.

Comprando outra máquina

No caso de quem tiver interesse de adquirir outra máquina, qualquer computador comprado no varejo já está atualizado com o Windows 10 desde o final de 2016, argumenta a especialista. Ela afirma que como hardware e software estão interligados, os computadores vendidos atualmente já suportam o novo sistema e estão preparados para a maioria das funcionalidades.

“O Windows 7 foi lançado em 2015 e naquele ano nem todas as máquinas estavam completamente adaptadas ainda. À época, o sistema permitia controle por touch screen, mas poucos hardwares tinham essa funcionalidade, por exemplo. Como as evoluções tecnológicas ocorrem com uma velocidade impressionante, hoje em dia os computadores já estão completamente adaptados ao sistema”, explica Sylvia.

 
Continuando com Windows 7

A especialista em infraestrutura de TI esclarece, ainda, que será possível continuar com o Windows 7 instalado e receber atualizações para ele. Para isso, porém, o usuário terá que pagar pelos novos patches, que serão fornecidos até 2023. Os valores serão pagos anualmente e começam a custar a partir de 25 dólares, sendo que nos outros anos eles irão aumentando.

“Para quem gosta do Windows 7 e quer prolongar a utilização do SO, essa é uma opção também. Contudo, ela não é muito recomendada para os usuários domésticos por causa dos valores. Por isso, é preciso parar e começar a se programar agora para considerar o que será feito até a finalização do suporte ao sistema. O ideal é se planejar e tomar a decisão alguns meses antes, para não deixar tudo de última hora e, inclusive, se for o caso, guardar um dinheiro para comprar outra máquina ou fazer a atualização para o Windows 10”, finaliza.

Sobre Sylvia Bellio

Iniciou a carreira no setor financeiro, atuando como gerente da área administrativa de grandes instituições bancárias.

Diretora Geral da it.line – empresa eleita por quatro anos consecutivos o Maior Canal de Vendas Dell do Brasil.

Com mais de 15 anos de experiência no mercado de tecnologia conduz sua equipe de arquitetos de soluções e executivos de negócios para se posicionem lado a lado com os profissionais de TI na busca de soluções para resolver os desafios de negócios das empresas.

Agraciada, através de sua empresa, por anos consecutivos com os mais conceituados prêmios da Dell Computadores.

Introduziu no Brasil fabricantes como: Dot Hill Systems de armazenamento FC; EqualLogic armazenamento Iscsi; Force10 de networking; Compellent de armazenamento FC|ISCI.

Tem papel de destaque no empoderamento feminino dentro do universo da tecnologia.  É a única mulher a compor o conselho das empresas parceiras da Dell no Brasil. Participou de diversas edições do Dell World e das últimas edições do Dell Women’s Entrepreneur Network.

Sobre a it.line

No mercado há mais de 15 anos, a it.line é uma empresa de tecnologia que oferece serviços de projetos de TI, Arquitetura Digital, Consultoria, Integração, Suporte, Virtualização, Cloud Computing e Segurança.

A empresa foi considerada, por quatro anos consecutivos, o maior canal de vendas da no Dell Brasil. Além disso, o empreendimento faz parte da elite dos canais Dell, pois é Titanium, degrau mais alto do programa Partner Direct.

Oferece toda linha de produtos Dell EMC através de um modelo de negócios direto com o fabricante e suportado pelos melhores profissionais de pré-vendas, vendas e pós-vendas do segmento.

Atua com base no conceito de ser, realmente, um provedor de soluções, não apenas mais um revendedor de produtos, a it.line participa ativamente junto aos projetos de seus clientes, suportando-os da pré-venda à pós-venda, provendo todos os serviços de suporte e assistência técnica que as soluções demandarem.

Os conceitos que resumem a it.line são: Tradição, Confiança, Respeito, Credibilidade e Flexibilidade.

Acesse: www.itltech.com.br

Sylvia Bellio- Foto:Diego Fernandes

Banco de Imagens/Pixabay  -Foto de Capa