FIDA vê avanço de projeto para pequenos produtores rurais em Sergipe

Em reunião na Secretaria da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (SEAGRI) de Sergipe, o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) concluiu esta semana (29) sua missão de supervisão de dez dias no estado.

A visita teve o objetivo de avaliar o andamento do Projeto de Negócios Rurais para Pequenos Produtores – Projeto Dom Távora, cofinanciado pela entidade e executado pelo governo de Sergipe.

A meta é beneficiar 12 mil famílias de pequenos produtores rurais de 15 municípios do Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano; com o financiamento de planos de negócios, capacitações e assistência técnica rural.

Atualmente, o Dom Távora executa 132 planos de negócios, nos quais 17,6 milhões de reais foram investidos — 56% dos 31,6 milhões de reais disponíveis para projetos. Foto: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Atualmente, o Dom Távora executa 132 planos de negócios, nos quais 17,6 milhões de reais foram investidos — 56% dos 31,6 milhões de reais disponíveis para projetos. Foto: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Em reunião na Secretaria da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (SEAGRI) de Sergipe, o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) concluiu esta semana (29) sua missão de supervisão de dez dias no estado.

Foram definidos os últimos ajustes do documento emitido e assinado pelo FIDA e pela SEAGRI, resumindo as conclusões da visita, que tem caráter avaliativo sobre o Projeto de Negócios Rurais para Pequenos Produtores – Projeto Dom Távora, cofinanciado pela entidade e executado pelo governo de Sergipe.

Um dos destaques foi a extensão do prazo de execução do projeto por mais 18 meses, permitindo a aplicação de mais 4 milhões de reais em benefício de aproximadamente 1 mil famílias, através de 20 planos de negócios (PNs).

Atualmente, o Dom Távora executa 132 planos de negócios, nos quais 17,6 milhões de reais foram investidos — o equivalente a 56% dos 31,6 milhões de reais disponíveis para os projetos. Além de aumentar o prazo para a conclusão dos PNs em andamento, a prorrogação vai ampliar a quantidade de planos executados no estado, segundo o coordenador-geral do programa em Sergipe, Gismário Nobre.

“Temos uma relação de 20 projetos que já foram aprovados, mas faltou a contratação deles dentro do prazo inicial, até setembro. Estamos com mais ou menos 80% de execução e faremos a contratação desta outra parte com o restante de recursos.”

“São novos projetos, mas da mesma leva dos demais que foram aprovados via edital. Existia esta meta de atender 6.200 famílias, nós estamos hoje em 5.600 e vamos, nesses cerca de 20 projetos, atender de 800 a 1.000 famílias, que serão contempladas com esses 4 milhões de reais disponíveis”, detalhou.

O secretário da Agricultura de Sergipe, André Bomfim, explicou que o Dom Távora tem transformado a realidade das famílias atendidas nos PNs, com investimentos na produção e beneficiamento da safra rural, negócios familiares e cursos que promovem a geração de renda no campo.

“Além das 5.600 famílias já beneficiadas pelo componente I do programa, que são os PNs, o Dom Távora alcançou um total de mais de 9 mil famílias beneficiadas. No componente II. Até agora, foram realizadas capacitações temáticas para 2.000 famílias em Gestão de Negócios Rurais e quase o mesmo número em oficinas produtivas. Cerca de 400 pessoas também participaram de visitas, intercâmbios e viagens comerciais”, disse.

Segundo Bomfim, o estado entra no projeto com a contrapartida de 12,3 milhões de dólares, do valor global de 28 milhões de dólares investidos. A meta é beneficiar 12 mil famílias de pequenos produtores rurais de 15 municípios do Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano; com o financiamento de planos de negócios, capacitações e assistência técnica rural.

Avaliação

Segundo o oficial do programa para a Divisão da América Latina e Caribe, Leonardo Bichara, foi identificada, nas duas missões realizadas em 2019, melhora no ritmo de execução do projeto.

“Muitos avanços ocorreram, principalmente nos últimos 12 meses. Vários PNs já estão em fase avançada de implementação. Vimos que 27 dos 132 já estão em fase de conclusão, ou seja, é uma situação bem melhor do que a gente tinha há um ou dois anos, em que os planos estavam todos no início”, detalhou.