FAO traz agricultores da América Central para conhecer estratégias de produção no semiárido brasileiro

De 25 a 30 de junho, agricultores e técnicos da Guatemala, El Salvador e Honduras estarão no Brasil para discutir estratégias de cultivo em contextos de escassez de água. Visita é promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Agência reunirá os produtores da América Central com agricultores familiares da Paraíba e de Pernambuco.

Produtor rural no semiárido. Foto: Agência Brasil/Wilson Dias

Semiárido brasileiro. Foto: Agência Brasil/Wilson Dias

De 25 a 30 de junho, agricultores e técnicos da Guatemala, El Salvador e Honduras estarão no Brasil para discutir estratégias de cultivo em contextos de escassez de água. Visita é promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Agência reunirá os produtores da América Central com agricultores familiares da Paraíba e de Pernambuco.

O encontro é a segunda etapa do intercâmbio promovido pelo organismo das Nações Unidas e a Rede Articulação com o Semiárido (ASA). O programa de troca de conhecimento visa encontrar soluções para quem enfrenta diariamente as dificuldades geradas pelo clima: secas prolongadas ou excesso de chuvas que deixam rastros de destruição.

Os três países da América Central fazem parte do Corredor Seco, região que inclui ainda a Nicarágua e que é o lar de mais de 1 milhão de famílias. A maioria delas vive principalmente da agricultura.

No Brasil, cerca de 26 milhões de pessoas vivem no Semiárido, sendo que 38,03% estão na zona rural, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Conhecendo o Nordeste brasileiro

O grupo irá visitar a região semiárida dos estados da Paraíba e Pernambuco. A primeira parada, no dia 26, é na comunidade Sussuarana, no município de Juazeirinho, na região do Seridó paraibano. No dia seguinte (27), a delegação segue para a região da Borborema, no município de Esperança.

Nos dias 28 e 29, a comitiva visita a região Agreste de Pernambuco. No município de Bom Jardim, a comunidade do Feijão, e no município de Cumaru, a comunidade de Pedra Branca.

No dia 30, está prevista a ida dos centro-americanos à Feira Agroecológica das Graças, a mais antiga de Pernambuco, com 20 anos.

Ao longo da visita ao Brasil, os agricultores conhecerão experiências de produção de alimentos, armazenamento de água e sementes, acesso a mercados, manejo integrado de água para a produção, sistemas agroflorestais e funcionamento de cisternas.

Para o coordenador da rede ASA no estado de Pernambuco, Alexandre Pires, os brasileiros precisam “compartilhar aquilo que aprendemos para que outros possam melhorar suas vidas, para que outras possam ter mais dignidade para viver em uma região seca, em uma região semiárida”.

Em abril deste ano, um grupo de agricultores brasileiros e representantes da Rede ASA visitaram a região do Corredor Seco para conhecer a realidade das pessoas que vivem nas áreas rurais da Guatemala e El Salvador.

ONU

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons