Escritor independente embarca na nova onda literária e resgata leitores dos mais variados eixos

Residente de São José dos Campos, desde os primeiros onze meses de vida, Rogério Rodrigues vive até os dias de hoje em São José dos Campos/SP.  Natural de Mogi das Cruzes/SP, viveu os primeiros onze meses de vida em Arujá/SP.

O gosto pela escrita sempre teve. Na sua adolescência seus poemas eram plageados por um dos irmãos e colegas, assim transformando em cartinhas de amor aos autores dos plágios.

Menina dos seus olhos

Deu início ao primeiro livro aos vinte e cinco anos, Menina dos seus olhos, obra que durou cinco anos para se concluir. Serviram de protagonistas o nome da escola onde estudou toda a vida escolar e que foi líder estudantil entre 2001 e 2003 no período noturno (E.E Moabe Cury) e o bairro (Conjunto Elmano Ferreira Veloso), cujo viveu toda sua vida.

Menina dos seus olhos têm os protagonista Moabe e Elmano. Uma obra que não conseguiu publicá-la devido ao alto custo já que ficou no formato A4 e teve 525 páginas. Mas acredite se quiser há leitores que já leram! 

Rodrigues foi prejudicado várias vezes ao tentar bancar revisores para corrigi-lo. Dois, diante ao desabafo do autor agiram de má fé, mediante sua falta de inexperiência no ramo. Já a última, veio a falecer em junho de 2009. Uma amiga, cuja era professora e que teve um conto de homenagem no Livro Contos & Descrenças, com o título Eternamente Ilza.

Diante todo o empecilho enfrentado no primeiro livro, Rogério Rodrigues  não desistiu. Descobriu que a sua paixão era escrever livros. Tanto que após de concluir o primeiro, logo partiu para o segundo.

Gênero narrativo totalmente diferenciado do primeiro. O primeiro se trata de um longo romance, já o segundo, uma antologia de dezessete obras curtas: contos, textos póeticos, crônicas e algumas poesias. Todas de sua autoria. Os dois livros publicados bancou do próprio bolso. Ambos os eventos na biblioteca pública Cassiano Ricardo, São José dos Campos/SP.

Dali em diante não cruzou os braços, em 2009 em parceira com os amigos artistas do bairro e outras localidade da cidade, realizaram o I Encontro Literário da Zona Sul, em oututro de 2009, na E. E Moabe Cury.

Isso mesmo, a escola onde sempre estudou a vida escolar, ambiente que deu vida aos seus primeiros personagens literários e que em 2012, se tornaria seu espaço de trabalho, já que nesse ano veio trocou a profissão de porteiro por professor. Profissão exercida atualmente, mas que lecionou na E. E Moabe Cury, de 2012 a 2018.

De lá para cá, está no seu décimo quarto livro. De toda sua trajetória literária, já escreveu mais de noventa gêneros narrativos, para os mais diversos púbicos.

Algumas de suas obras poderão ser apreciadas pelos sites: recantodasletras.com.br/autores/rogeriorodrigues2020 ou autores.com.br, no último, pesquisando pelo o nome do autor.

Uma de suas atuais obra foi adaptada do primeiro livro escrito. A megera, adaptada do romance “Menina dos Seus Olhos”, onde aborda apenas o triângulo amoroso dos protagonistas: Elmano, Moabe e Cremilda. Fruto que percebe ali a experiência sobre a tática de escrever livros. Nessa, já no formato A5, tem apenas 70 páginas. Um resultado de economia no papel de cento e vinte um por cento de diferença nas quantidades de páginas, isto é, uma economia de quinhentas e duas páginas a menos.

Rogério Rodrigues já foi presidente da Associação do Moradores do bairro onde viveu quando era solteiro, de 2001 a 2003. Instituição que fundou junto com os moradores do bairro. Época em que realizou junto da instituição e da comunidade, dois aniversário do bairro. Fruto que gerou um dos contos de memória “Parque de Diversão”, publicado na obra “Contos & Descrenças”.

Em 2010, além de ter a primeira obra publicada, com os mesmos escritores artistas da região num evento na E.E Moabe Cury, realizaram outro evento Literário, agora com um porte maior, no Campus da Faculdade Anhanguera – São José dos Campos, em parceria com Academia Valeparaibana de Letras e Artes.

Prêmio Jabuti 2020

Atualmente Rogério Rodrigues é membro da Academia Virtual da Lingua Portuguesa e Literatura e tem procurado inscrever seus projetos literários nos mais variados Programas de Incentivos à Cultura. Seu último romance lançado, “Imaginável Rebeca” está concorrendo ao Prêmio Jabuti, 2020.

Escritor joseense Rogério Rodrigues

Nas suas obras literárias, Rogério Rodrigues acostuma geralmente, citar algum nome de personagens de outras obras ou pessoas que viveram próximas a sua vida. Grande exemplo é o romance Imaginável Rebeca, que traz como  protagonista, Ana. Um nome que poderá ser visto em outras obras.

Algumas de suas obras já foram trabalhadas nas escolas da região. E suas obras mais comentadas são: A má amada, Imaginável Rebeca, Moabe, A viagem assombrosa, Deu uma louca em todo mundo, Te quero porque te amo,  Mimi – vem cuidar de mim e o fantástico Jaspion.

Rogério Rodrigues é graduado em Letras (UNIP/2013), Pedagogia (FACON/2018) e possui Especialização em Psicopedagogia (FACON/2019).

Para interagir com o público já está na fase final o projeto de uma promoção literária intitulada de “PROMOÇÃO LITERÁRIA AMIGO LEITOR”, cuja tem o objetivo de interagir com o público de seus livros ou pessoas interessadas em sua obra. Maiores informações deverão sair nos próximo dias na página do facebook do autor: www.facebook.com.br/escritorRogerio/

Além de gêneros literários, Rogério Rodrigues escreve também: roteiros (curtas e para teatro).

“Escrever para mim é mais do que uma terapia. Amo escrever nos meus livros atitudes que eu presencio nas pessoas, seja a atitude mais boba ou excelente ocasião para expor nas minhas obras. Já fiz muito disso.”

“Amo citar em meus livros, os personagens ou numa narração minhas obras anteriores”

“Gosto de brincar com o nome das minhas obras durante a ficção, por isso tomo maior cuidado para escolher o título. Me aventuro quando percebo que um livro terminou e me senti satisfeito com o título lhe dado”

Escritor joseense Rogério Rodrigues
Instagram