Encerramento de “Conversas em Redes” terá elenco de “ExperimentosSelvagens.br” nesse sábado

“Conversas em Rede”, ciclo de discussões, impressões e perspectivas sobre criação artística em tempos de pandemia, promovido pelo projeto Selvagens, de São José dos Campos, chega a sua terceira e última edição nesse sábado, ao vivo, pela plataforma Zoom, às 21h (https://us02web.zoom.us/j/89092416693). O destaque fica por conta da participação do elenco de “ExperimentosSelvagens.br”, que também encerra sua temporada de exibições pelo YouTube no próximo domingo, dia 29.

Em “Figuras semi-ficcionais: conversas com a atuação”, tema desse sábado, Andrei Gonçalves, Mauro Moraes, Ricardo Salem e Simone Sobreda vão conversar com o público sobre suas criações, curiosidades e impressões sobre o streaming, dirigido por Fabiana Monsalú, com  direção de arte de Adbailson Cuba. Ambos, inclusive, vão mediar o bate-papo.

Com dramaturgia de Camila Damasceno, ExperimentosSelvagens.br resulta em atuações quase auto-biográficas, já que cada ator, ou performer, utiliza sua subjetividade e experiências pessoais para construir, se projetar e interagir com a realidade sugerida a cada momento capturado. Mas realidade do quê? Não importa. Nas palavras da diretora Monsalú: “Qualquer coisa. Sempre estaremos percebendo coisas diferentes”. A edição e finalização é de Beatriz Belintani; câmera, Melissa Rahal; e luz, Rachid Severino. As exibições ocorrem na sexta e sábado às 20h, e domingo às 19h, pelo canal Fuxico na Rede, no YouTube. E é bom não perder, o conteúdo não ficará disponível na plataforma.

O projeto Selvagens conta com recursos do Fundo Municipal de Cultura e Fundação Cultural Cassiano Ricardo, de São José dos Campos, e discute a percepção da loucura na sociedade contemporânea. A iniciativa ainda contempla série de podcasts (Vozes) e webdoc (Selvagens), esse último com versões acessíveis em Língua Brasileira de Sinais e audiodescrição. Mais informações: www.projetoselvagens.wixsite.com.br/2020 .

Mudanças e perspectivas

Luz, câmera, máscara, álcool em gel, distanciamento, ação e “merda”. Os famosos bordões dos sets de filmagens e gravações no cinema e na televisão e o desejo de bons fluídos nas apresentações teatrais se juntaram e ganharam novos desdobramentos também em ExperimentosSelvagens.br.

ExperimentosSelvagens.br

O resultado surpreende quem acha que o formato de vídeo deixou o jogo dos atores com o público, marca registrada do teatro, menos real ou distante das pessoas. A forte presença estética de imagens similares às captadas por câmeras de segurança, presente nas “pílulas selvagens” [vídeos curtos encenados livremente pelos atores, para divulgar o experimento audiovisual] sugerem reflexão, turbilhão de pensamentos, sentimentos, medos, novos ou antigos, de qualquer pessoa.

Em ExperimentosSelvagens.br, essas emoções ganham uma leitura cotidiana e semi-ficcional ao mesmo tempo.“É como se lançássemos lupas sobre nós mesmos, o que sentimos, o que vemos, o que somos nas mais variadas situações. Se aquilo é real ou ficção. Se estamos ali ou não”, provoca a diretora Fabiana Monsalú.

“Conversas em Rede” – convidados:

Andrei Gonçalves – “Uma compilação de memórias afetivas e musicais, amante da efemeridade do luar, do nascer do sol e que prioriza o tempo investido na observação de fenômenos naturais (ou não) diários a olho nu”, diz o ator-observador, de 35 anos. Em São José dos Campos, é ator integrante do “Núcleo de Teatro Narrativo Cia do Trailler/Teatro da Rua Eliza”; produtor cultural e cantor no coral Libercanto; e “contador, por acidente do destino”.

Mauro Moraes – Como ator atuou em mais de 20 espetáculos teatrais, participando de vários festivais nacionais, os quais renderam 08 prêmios de melhor ator e outras 06 indicações, 05 prêmios de melhor maquiador. Formou-se em jornalismo pela Universidade de Taubaté, técnico ator pela Escola Maestro Fego Camargo e especializou-se em dança e consciência corporal; participou da extensão Experimentos em Performance I (USP/UNESP); foi aluno especial na disciplina “As dramaturgias pós narrativas no contexto contemporâneo” no IA UNESP. Teve projetos contemplados pelo PROAC circulação e PROAC montagem de espetáculo e pela iniciativa MAIS CULTURA (MEC/MINC). Participou como jurado em festivais de teatro e poesia. Atua como monitor de oficinas culturais, tanto de performance como de teatro.

Como especialista em História e Cultura Africana e Afro Brasileira e especialista em História da Arte atuou no Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra desenvolvendo atividades como contação de historia sobre a Origem do Mundo Yorubá, e o projeto “Conversando sobre África”. Foi responsável pelas exposições e curadoria do Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina.

Ricardo Salem – Amante das formas animadas, das artes do corpo e da comunicação, é formado em jornalismo pela Universidade de Taubaté; Artes cênicas pelo Tuca – PUC – São Paulo; Gestão Cultural e Arte-Educação pelo Senac- SP. Como ator e produtor, mantem a utopia de criar e realizar projetos que contribuam para construção de uma sociedade igualitária entre pares.

Simone Sobreda – Mestre em Segurança de Vôo pelo ITA. Tem Curso livre em artes cênicas pelo CAC Walmor Chagas. Participou de diversas oficinas e workshops na área de teatro com profissionais como Fabiana Monsalú, Claudio Mendel, Aline Borsari, Maurice Durozier, Eve Doe Bruce, Andreas Simma, Adriana Salles, Adélia Nicolete, Marcelo Soler, Cacá Carvalho, Os Geraldos, Cia Hiato, entre outros. Participou do Workshop-Montagem do espetáculo “The HiddenSayings” (Direção: Mario Biagni).Atuounos espetáculos: “Édipo Rei” (Direção: Andréia Barros), “Grito de Partida” (Direção: Imara Reis), “Hamlet Rapsódia” (Direção: Fernando Rodrigues), “Estado de Sítio” (Direção de Adbailson Cuba), “O Despertar da Primavera” (Direção: Tamara Cardoso), “Delirium Áudio Tour” (Direção: Marcelo Denny e André Ravasco), Performance “CEGOS” (Marcelo Denny e Marcos Bulhões), “ExperimentosSelvagens.BR” (Direção: Fabiana Monsalu)e “Memórias Perdidas – A Noite que se Aproxima” (Direção: Caren Ruaro). Participou de filmes com os diretores Danilo Morales e Marcella Arnulfde São José dos Campos: “O Vale da Sombra da Morte”, “Casa de Xangô”e “Em Nome de Teresa”.

CONVERSAS EM REDE

3º dia – 28/11 – 21h

Tema: “Figuras Semi-ficcionais: Conversa com a Atuação”

Artistas: Andrei Gonçalvez, Mauro Morais, Ricardo Salem e Simone Sobreda

Mediação: Fabiana Monsalú e Adbailson Cuba

Entrar na reunião Zoom

https://us02web.zoom.us/j/89092416693

Instagram