Emoção e aprendizado marcam pitch empreendedor de alunos do Cephas

Durante o  Pitch Empreendedor, realizado  pelo Invoz (Integrando Vozes para o Futuro), nesta quarta-feira,5, estudantes, professores e componentes da Banca Avaliadora se emocionaram com a apresentação dos projetos dos alunos do Cephas (Centro de Educação Profissional Hélio Augusto de Souza). Foram apresentados oito projetos dos cursos de administração, Edificações, mecânica e Química.

O sócio da Quero Educação,  Lucas Gomes, fez uma palestra antes do início das atividades da  banca e prendeu a atenção dos jovens ao falar sobre a trajetória de uma empresa que nasceu de um projeto de conclusão de curso no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e após  6 anos desde a concepção até a consolidação do mercado e  a descoberta do modelo ideal de negócio,  tem um faturamento anual de R$ 50 milhões . “ Estou muito feliz de estar aqui com vocês hoje porque foi desta mesma forma que nasceu a nossa empresa, de uma ideia que surgiu nos bancos da faculdade”, disse.

Após a palestra, cada grupo teve 5 minutos para fazer um panorama do mercado (mostrando potencial e tendência crescimento), apresentar o produto, comparar com a concorrência e realçar vantagens / diferenciais, dados financeiros e rentabilidade e o ponto de equilíbrio (break even point), além de apresentar o resultado de uma pesquisa de aceitação do produto no mercado, a composição da equipe e qual o valor para o desenvolvimento do negócio (payback).

A cadeira de rodas elevatória para pessoas com paraplegia desenvolvida pelos alunos de mecânica foi a grande vencedora. O segundo lugar ficou com o projeto Alvo Serviços de Cliente Oculto que busca auxiliar empresas a melhorar o atendimento, colocando clientes ocultos para fazer avaliação do serviço e dando feedback às organizações contratantes.

Matheus Moreira de Almeida, 25, é da equipe que fez a cadeira de rodas. Para ele, conseguir o primeiro lugar no Pitch Empreendedor foi uma grande oportunidade de mostrar o trabalho para grandes empresários e instituições. “Primeiro, eu fiquei emocionado pois foi um prêmio de reconhecimento ao nosso esforço e ao nosso trabalho e mostra que o nosso projeto deu certo. Não esperávamos ganhar, mas sabíamos que daí só viriam coisas boas”, revela.

Emoção também para Sandro Héliton, 49, do curso de edificações. “Pensa na magnitude deste momento. Só de participar já é um prêmio e só aumenta a nossa responsabilidade de apresentar de forma mais técnica e de estarmos preparados para desafios como esse”, revela.

Avaliação da Banca

Os empresários da banca avaliadora exaltaram a qualidade dos projetos e a postura dos alunos durante a apresentação, deram dicas de melhoria e aperfeiçoamento para que os projetos possam ser viabilizados e quais os percursos e percalços que o empreendedor enfrenta durante o processo de criação e amadurecimento de uma ideia. Do lado dos investidores estavam nomes de peso como Sebrae, Nexus, Assecre, Quero Educação, Globo Usinagem e Aconvap (Associação das Construtoras do Vale do Paraíba).

Eduardo Piloto, da Associação dos Empresários das Chácaras Reunidas elogiou os projetos e reforçou a importância sempre buscar o aprimoramento daquilo que se propõe a fazer. “Ver nos olhos desses jovens, tão nítida, a vontade de empreender, me deixa muito

Para Manoel Oliveira, presidente do Conselho do Invoz, “ver a juventude trabalhando e criando coisas mostra a importância de desenvolver o espírito empreendedor”. Mesma avaliação de Alexandre Barros, da Nexus, para quem o empreendorismo é uma “grande jornada”.

“Eu estou muito impressionado com a qualidade e a diversidade de projetos apresentados pelos alunos, em diversas áreas do conhecimento”, disse Lucas Gomes da Quero Educação. “É preciso pensar em um negócio que as pessoas querem e, para isso, precisamos conversar com o consumidor”, concluiu Gomes.

Sobre o Pitch Empreendedor

O Pitch Empreendedor é uma iniciativa piloto do Invoz, que tem o engenheiro Ozires Silva como mentor e que pretende buscar parcerias para alavancar negócios que tenham saído dos espaços acadêmicos, como o Cephas, por exemplo.

Como definição, o pitch é uma breve apresentação para que novos negócios possam atrair a atenção de investidores e clientes. Não é necessariamente uma reunião de negócios, mas o objetivo é que esse seja o primeiro passo para concretizar o investimento ou o negócio.

Sobre o projeto vencedor

A cadeira  de rodas elevatória  possibilita ao portador de paraplegia ficar de pé, através de um sistema de dobradiças e um motor de portão elétrico que foi adaptado para a função, possibilitando acesso a lugares mais altos.

De acordo com os idealizadores, é possível por exemplo, que o  paraplégico possa pegar um objeto na parte de cima de um armário e até fazer as próprias refeições com mais comodidade e ainda possibilitá-la exercitar as extensões do corpo.

Funcionamento do experimento

A cadeira de rodas  permite que, através de um controle remoto, a estrutura articulada eleve a cadeira para a posição vertical  – o que permite que o  cadeirante fique na posição ereta, protegido por dois cintos de segurança. Para retornar à posição inicial, basta apertar novamente o controle remoto.

Alguns dados  técnicos

  • Capacidade de carga: 70kg
  • Motor de acionamento: Motor elétrico de 220V, alimentado por bateria de 12V potencia de 1/4 HP, utilizando um inversor de tensão.
  • O equipamento tem autonomia de 8h, podendo ser recarregada com carregador compatível em qualquer ponto disponível.
  • Foram utilizados cintos e estofados automotivos.

Sobre o Cephas

O Cephas é uma escola técnica da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), mantida pela Prefeitura de São José dos Campos, que incentiva a inclusão social por meio da educação profissional, oferecendo cursos técnicos gratuitos e de qualificação profissional. O Centro fica na Rua Tsunessaburo Makiguti, 399 – Floradas de São José, São José dos Campos.

Foto: Divulgação
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons