Em São José dos Campos, Mater Dei forma alunos para o futuro com foco em protagonismo digital e inovação

Personalização da experiência do estudante e educação baseada em dados fazem parte das estratégias para preparação de jovens do maior polo tecnológico do País

Apontada como a cidade mais inovadora do Brasil por pesquisa da Endeavor (organização de apoio ao empreendedorismo e empreendedores), São José dos Campos está à frente de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, quando o tema é inovação. O Parque Tecnológico do município concentra mais de 300 empresas e instituições de pesquisa com fomento às startups e é o único lugar do mundo que reúne as três maiores fabricantes de aviões.

Um fator fundamental para que esta premissa se sustente no longo prazo está associada à educação. Mais do que a preparação universitária com foco em tecnologia e inovação, o ensino básico e fundamental com este olhar já foram apontados pela ONU como essenciais para que se possa preparar adequadamente as crianças e jovens para os desafios do século XXI e para a sociedade do conhecimento.

Entre as metas de educação do organismo internacional para 2030 estão não apenas a garantia de aquisição de competências profissionais ou técnicas, mas também a aprendizagem para o mundo plural, interdependente e cada vez mais interconectado. Cidadania digital e a defesa do pensamento crítico complementam as preocupações da entidade com relação às metas para a educação no longo prazo.

Mater DEI de São José dos Campos

 Mater DEI de São José dos Campos

Alinhado às diretrizes da ONU, o Mater DEI de São José dos Campos é pioneiro na adoção de ferramentas e transformação de metodologias que consolidam uma nova maneira de ensinar na região. Na escola as dinâmicas adotadas estão associadas a quatro pilares fundamentais de educação: aprender a conhecer – ou seja, no auxílio à aquisição de instrumentos de compreensão; aprender a fazer – para que os estudantes possam agir de maneira independente sobre as problemáticas apresentadas; aprender a viver juntos – de modo a estimular a cooperação com os outros em todas as atividades humanas; e aprender a ser – conceito principal da metodologia de educação que integra todos os anteriores.

Com a incorporação de recursos tecnológicos que permitem personalização da experiência do aluno e o uso de dados de aprendizagem, aliados a metodologias pedagógicas inovadoras, o Mater Dei desenvolveu uma nova forma de educar. Um exemplo foi a adoção da multiplataforma do Geekie One para os alunos das últimas séries do Ensino Fundamental II, como projeto piloto. O sistema permite que o acompanhamento da evolução do estudante seja mais visível para a escola e para as famílias, de maneira integrada. Desta forma, professores identificam mais facilmente as dificuldades e fortalezas de cada aluno, compartilhando com ele atividades direcionadas às suas necessidades específicas.

“O piloto deu tão certo que, a partir de 2020 a proposta será expandida para todas as séries do Fundamental II”, revela Alessandra Prata, diretora do Mater Dei em São José dos Campos. “A substituição do material didático é apenas um dos reflexos da adoção da nova plataforma. O principal benefício está no fato de que a visualização do conteúdo estudado, das atividades em andamento, das lições de casa e da multidisciplinaridade de conteúdos passa a estar acessível e de uma maneira visualmente simplificada para professores e alunos. Outro aspecto está no fato de que as características e necessidades individuais de cada estudante são mais evidentes, de modo que o ritmo de aprendizagem de cada um é respeitado”, conclui.

Diversos estudos já apontam que aprender a “linguagem da tela” e das “tecnologias da interrupção” é tão importante quanto a alfabetização relacionada à leitura e à escrita. Neste contexto, sem a adoção de ferramentas e plataformas de educação digitais torna-se impossível preparar os cidadãos do futuro e promover a cidadania digital. “O mundo atual exige que as crianças se envolvam com o universo digital, compreendendo sua natureza intrincada e conectada. Sem isso é impossível preparar os jovens para o futuro para a vida prática e profissional que se descortinará para eles em poucos anos. Este é o momento para que eles desenvolvam habilidades e competências técnicas que serão exigidas deles em um intervalo de tempo muito curto”, avalia a diretora do Mater Dei.

De olho no futuro

Para que não haja desconexão ou hiato na transição das crianças da educação básica para o ensino fundamental, o Mater Dei adotou um sistema de educação híbrida, que integra dinâmicas on e offline com alunos dos primeiros anos escolares.