Eduardo Kobra faz painel com Leilão para as vítimas da tragédia no Líbano e sorteia cinco serigrafias para quem fizer qualquer doação

O muralista brasileiro fez o painel “Ao Líbano, com carinho”, inspirado na luta pela recuperação do povo libanês, atingido pelas explosões ocorridas em agosto. A obra será leiloada até 22 de outubro. Além disso, serão feitos sorteios de cinco serigrafias do painel as pessoas que realizarem doações, de qualquer valor, para a campanha. Segundo o artista, em 2021 “Ao Líbano, com carinho” será pintado em um prédio da capital libanesa.

O artista brasileiro Eduardo Kobra lançou um painel sobre o Líbano, país marcado pela recente tragédia ocorrida em Beirute. A obra está sendo leiloada até o dia 22 de outubro, através da plataforma 32Auctions (link: https://www.32auctions.com/2020Beirut). O lance inicial é de 27 mil dólares (cerca de 150 mil reais).  Além do leilão do painel, cinco serigrafias da obra serão sorteadas entre todas as pessoas que fizerem doações – de qualquer valor – para a campanha. De acordo com Kobra, 100% do valor arrecadado será destinado ao país do Oriente Médio. No próximo ano, o conhecido muralista irá pintar a obra ”Ao Líbano, com carinho”, em algum prédio da capital daquele país.

“Ao Líbano, com carinho”

Ao Líbano, com Carinho, de Eduardo Kobra-Foto: Divulgação

O leilão do painel de 1,90m por 1,90m e a possibilidade de doações estarão vigentes na plataforma até o dia 22. Segundo Kobra, o propósito desse trabalho é ajudar as famílias que foram vítimas da explosão. “A obra mostra duas mãos, que simbolizam as mãos da humanidade, levantando o cedro do Líbano, que é um símbolo de paz, de fraternidade, de união e respeito”, diz o artista, que utilizou a bandeira do Líbano como a base para a pintura. “O vermelho representa o sangue derramado pelas pessoas que se feriram ou morreram nas lutas para livrar o país das forças externas;  o branco representa a permanente busca pela paz e a beleza das montanhas cobertas pela neve;  e o cedro, árvore presente em boa parte do país, é um símbolo de força e eternidade”, explica Kobra.

O valor arrecadado com o leilão e doações será utilizado para a compra de alimentos, equipamentos médicos e materiais de construção para aqueles cujas casas foram destruídas. “Conto com o apoio de todos nessa Corrente do Bem e mais uma vez fazer a diferença na vida de tantas pessoas que estão hoje necessitadas e precisam do nosso apoio”, diz Kobra, que recentemente utilizou seu talento para uma campanha que ajudava famílias desassistidas, com situação de vulnerabilidade ainda mais agravada pela pandemia do Covid-19.

“Coexistência”

Painel Coexistência-Foto: Divulgação

Kobra fez o painel “Coexistência”, onde mostrava crianças de cinco religiões – budismo, cristianismo, islamismo judaísmo e hinduísmo – em oração e vestindo máscaras. Uma Serigrafia da obra foi sorteada entre as pessoas que fizeram doações. Com o valor arrecadado foram produzidos e distribuídos 16.620 kits. “Agora, estamos ao lado do povo libanês neste momento de necessidade. Quem não quer ou não pode participar do leilão, mas deseja ajudar o povo libanês, pode doar qualquer valor através do link , e, ao final da campanha, concorrer para ganhar no sorteio uma das serigrafias deste trabalho. Qualquer doação pode fazer a diferença. Agora, mais do que nunca, os libaneses, que tanto contribuíram e seguem contribuindo para o nosso país, precisam do nosso apoio”, reforça o artista.

Sobre a campanha

        No dia 4 de agosto deste ano, a capital libanesa foi abalada por uma série de grandes explosões. Uma onda de choque correu do local das explosões, na área portuária e industrial de Beirute, até o coração dos bairros residenciais da cidade, danificando casas e hospitais e quebrando janelas a quilômetros de distância do epicentro da explosão. Milhares de pessoas ficaram feridas e centenas foram mortas. Segundo o governo libanês, além das irrecuperáveis perdas humanas, os prejuízos causados pela devastação ultrapassam os US$ 10 bilhões.

            Essa tragédia atingiu e segue atingindo pessoas que já sofriam com a crise econômica e a pandemia da COVID-19.  Nesse sentido, Eduardo Kobra e a Fundação Tamari, criada por Abdallah W. Tamari (fundador da Sucafina) e Samia Tamari, se uniram para dar esse apoio às pessoas afetadas.

     Sucafina

       A Sucafina é uma multinacional do ramo de agronegócios de café, estabilizada há mais de 40 anos. Está localizada em 28 países e desde 2004 no Brasil. Embora a matriz fique em Genebra, na Suíça, as origens da empresa são libanesas. No Líbano, o escritorio da Sucafina fica em Beirute. 

         Com o objetivo de ajudar o povo libanês, a empresa fez uma campanha (já encerrada) onde a cada um dólar doado foi acrescentada pela Sucafina a equivalência, de mesmo valor. A maior parte do valor arrecadado, US$ 94.116,00, foi disponibilizado para a Cruz Vermelha Libanesa, que o utilizou para a compra de comida e equipamentos hospitalares. Parte do valor foi destinado a ONGs sérias, que realizam importantes trabalhos assistenciais.

            A matriz brasileira da empresa fica em Santos, onde Kobra fez um mural em 2017, inspirado no cultivo do café no Brasil. O apoio à arte de rua está no DNA da empresa. “A Sucafina possui em quase todos seus escritórios algum mural realizado por artistas locais, já que acreditamos na arte urbana”, diz Lucas Bueno, coordenador de Recursos Humanos da empresa na América.

             Segundo o coordenador, a Sucafina já convidou Eduardo Kobra e equipe para pintarem no próximo ano o painel “Ao Líbano, com carinho”, em algum prédio de Beirute.

Escola Estadual Professor Raul Brasil

Novo painel de Kobra, na escola Professor Raul Brasil, em Suzano-Foto: Divulgação

Kobra entrega mural e projeto de revitalização em Escola de Suzano – Eduardo Kobra finalizou recentemente um mural dentro da Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. O mural faz parte de um projeto idealizado por ele para a revitalização da escola, onde ocorreu um massacre em março de 2019, quando dois ex-estudantes armados invadiram o espaço. Além do mural pintado por Kobra dentro do pátio da escola, alunos participaram de um concurso através da Secretaria de Estado da Educação, com o tema “Paz nas Escolas” e enviaram desenhos. As obras escolhidas foram pintadas no muro em frente à fachada da escola. Para as pinturas nas outras três laterais do muro, foram convidados diversos artistas urbanos.

Após a tragédia, ocorreu um impactante aumento do número de evasão na escola, tanto dos alunos quanto dos funcionários. Segundo Kobra, “era muito difícil para todos encararem os muros, as paredes, as portas, o pátio e as salas de aula onde ocorreu a tragédia”. Por isso, o muralista idealizou um projeto de revitalização da escola que buscasse ajudar alunos, funcionários e a comunidade a recuperar o prazer de estar no colégio. 

       “Tive privilégio de, junto com meu time, criar esse painel que fala do carinho, do cuidado e do amor entre professores e alunos”, revela o artista. “Com essa imagem, em que uma professora abraça carinhosamente um aluno, retratei — na própria instituição de ensino — o recomeço da vida na Escola Estadual Professor Raul Brasil.

          Um ano depois, em memória dos que partiram e em apreço aos que ficaram, só podemos pedir uma coisa: paz”, diz Kobra, que explica os detalhes da obra: “na bolsa do menino há um símbolo da paz, formado por alguns lápis; no jaleco da professora, vemos um botão que destaca o amor de todos pela escola. Repare que há uma lousa atrás da professora e do aluno, onde vemos uma asa, desenhada com giz. Essa asa simboliza os professores que, como anjos, protegeram os alunos durante o atentado e, também, todos aqueles que se dedicam pelos seus estudantes diariamente no País. Também simboliza o que todos nós sabemos e devemos sempre ressaltar: é principalmente através da educação que poderemos atingir voos mais altos e conquistar os nossos sonhos”.

Eduardo Kobra
Kobra faz mural para as vítimas da tragédia de Beirute-Foto: Divulgação

Eduardo Kobra

        Eduardo Kobra faz questão de destacar não apenas seu mural, mas o projeto como um todo: “Esse trabalho de revitalização da escola é fruto de um esforço coletivo e de muito trabalho. Idealizei e criei um projeto onde centenas de alunos da Rede Estadual participaram de um concurso e mandaram desenhos para que juntos transformássemos as memórias e paredes da escola Raul Brasil em um ambiente saudável e de convivência positiva. Alguns desses desenhos foram escolhidos e fazem agora parte do mural da fachada da escola”, conta o muralista, que acrescenta: “no processo contei com a participação da Dionísio, agência especializada em artes, que organizou o trabalho e ajudou a torná-lo viável”.

Além dos desenhos dos alunos colocados no muro em frente à fachada, artistas urbanos como Sarah Lorenk, AqiLuciano, Agatha de Faveri, Elvis Mourão, Vera Nomura, Paulo Bruno, Mogle, Grego, Pardal, Negast, Clara Leff, Pack Toledo, Sotaq e Bliss Walls realizaram obras autorais nas outras três laterais do muro que circunda a escola, também inspirados no tema “Paz nas Escolas”. 

Instagram