Dicas para quem está alugando o primeiro imóvel

Paciência para pesquisar e negociar é essencial para evitar dores de cabeça

São muitos os motivos que levam alguém a querer sair do conforto da casa dos pais para morar sozinho ou dividir o espaço com alguém querido. Mudança de cidade ou estado civil e até busca por independência são alguns deles.

Comprar um imóvel pode ser bastante desafiador, economicamente, para muitas pessoas, e o aluguel de uma casa ou um apartamento se mostra como uma opção mais viável para o momento vivido.

Durante as buscas pelo local perfeito, a gente já começa a planejar e até a comprar móveis pela internet para mobiliar o novo cantinho, aproveitando cada promoção que aparece para compor a nova casa.

Contudo, será que isso é realmente o ideal a se fazer? O que deve ser levado em conta na hora de alugar um imóvel? Confira, a seguir, algumas dicas preciosas que vão te ajudar a tomar essa decisão tão importante.

Avalie o bairro

O primeiro passo a ser dado por quem quer alugar um imóvel é exercer a paciência. A pressa pode fazer com que a pessoa tome uma decisão precipitada e se arrependa da escolha futuramente.

Também há alguns critérios que devem ser considerados na busca pelo imóvel que será alugado. Os principais são:

– tipo de imóvel (casa, apartamento, quitinete, estúdio, etc.);

– estrutura do local (quantidade de quartos, vagas na garagem, piscina, academia etc.);

– valor do aluguel que cabe no seu orçamento mensal (incluindo condomínio e IPTU);

– localização (se é perto do trabalho, da estação de metrô ou do terminal de ônibus),

– serviços do entorno (o bairro é seguro e tem comércio por perto, como padaria, mercado, banco, hospitais, etc?).

Pesquise a imobiliária

Também é importante ter a ajuda de profissionais para realizar a busca pelo imóvel. Aí, entram as imobiliárias. Pesquise referências, reputação e tradição nos estabelecimentos.

Ainda é fundamental lembrar que é preciso ter fácil contato com a imobiliária, antes e após a transação, pois, muitas vezes, é o estabelecimento que conversa com o proprietário caso seja necessário realizar algum reparo no imóvel.

Faça uma vistoria

Esta avaliação minuciosa ajuda a evitar dores de cabeça com a estrutura do local. A etapa também é importante porque, caso o contrato seja firmado, fica claro se o reparo é responsabilidade do locatário ou do locador.

Avalie a existência de rachaduras estruturais e manchas nas paredes, que possam indicar umidade e vazamentos, o tipo de piso, as instalações elétricas, a condição de portas e janelas, se fecham corretamente, e todos os detalhes que possam causar problemas.

Nesta hora, também é importante combinar quais tipos de alterações podem ser feitos no imóvel. Às vezes, o locatário divide o custo da reforma com o locador, se notar que a alteração vai valorizar a residência.

Também é essencial deixar tudo documentado, por escrito, no contrato de locação, a fim de estabelecer claramente quais são as responsabilidades, os direitos e os deveres de cada um antes de pegar as chaves.

Leia o contrato

Além dos dados pessoais do locador e do locatário, o documento deve apresentar o prazo de locação e as informações claras sobre as formas de pagamento, a data em que o aluguel deve ser acertado e como será cobrado o reajuste.

Há proprietários que não incluem o condomínio e o IPTU no valor do aluguel, por exemplo, o que pode configurar um custo a mais para o novo morador. Essa informação também deve estar bem clara no contrato.

Se houver qualquer dúvida, adie a assinatura e peça a orientação de um advogado para avaliar o contrato e sanar suas questões. Às vezes, esse tipo de investimento evita dores de cabeça e gastos muito maiores no futuro.

Instagram