Daniel Serra faz história no Velopark

Em um dos momentos mais especiais dos 40 anos de história do Campeonato Brasileiro de Stock Car, o paulista Daniel Serra tornou-se o vencedor da corrida número 500 da categoria, em uma prova que teve de tudo: chuva, caça ao líder, equipe novata na liderança e uma inteligente jogada estratégica no final que decidiu as primeiras colocações. Com a vitória, Serrinha juntou-se ao pai, Chico Serra, no clube dos vencedores “centenários”. Chico faturou a StockCar 100. Os demais são Xandy Negrão (200), Cacá Bueno (300) e Thiago Camilo (400).

O pódio foi completado por Rubens Barrichello e Ricardo Maurício, que fez uma bela corrida de recuperação. A largada foi realizada em fila indiana devido ao piso escorregadio em função da chuva que vem caindo na região desde a sexta-feira. O pole position Thiago Camilo largou bem e garantiu a ponta, seguido muito de perto por Daniel Serra e Rubens Barrichello.

Logo na segunda volta, Marcos Gomes mergulhou por dentro e tomou a quarta posição de Nelson Piquet Jr. Pouco depois, Marcel Coletta e Pedro Cardoso, dois estreantes, rodaram e perderam muitas posições.

Enquanto isso, Camilo e Serra travavam uma intensa disputa pela liderança. Serrinha usou o botão de ultrapassagem para atacar e Camilo para se defender das investidas do atual campeão da Stock Car, que terminaria o dia como vencedor. Mais atrás, Max Wilson, César Ramos e Gabriel Casagrande protagonizaram uma disputa emocionante pela décima posição, com os três entrando juntos em algumas curvas do Velopark – o que levantou a torcida nas arquibancadas.

Com trinta minutos restantes para o final da StockCar 500, Thiago Camilo, que inicialmente foi muito pressionado por Daniel Serra, conseguiu abrir pouco mais de dois segundos e meio de vantagem para o segundo colocado, dando a entender que iniciaria a arrancada rumo a uma vitória tranquila.

Na 17ª volta, Guga Lima escapou da pista e se chocou contra a barreira de pneus. O incidente provocou a entrada do safety car e acabou anulando a vantagem construída a muito custo por Camilo sobre Serra. Também naquele trecho do traçado, durante os classificatórios do sábado, Átila Abreu escapou e sofreu o acidente que o afastou da corrida deste domingo, devido a uma fissura na vértebra L2. O piloto sorocabano deve passar por uma bateria de exames de avaliação, mas a princípio está escalado para voltar à pista na próxima etapa.

Na relargada, autorizada na 21ª volta, Camilo novamente usou habilidade para bloquear Daniel Serra e manter a ponta, aproveitando a presença de Denis Navarro, que no momento era retardatário e se viu preso entre os dois líderes. Foi então que o maior drama da prova começou. A chuva que caiu forte no sábado durante a classificação voltou com intensidade e obrigou a colocação dos pneus para pista molhada. A corrida começou a ser decidida.

Uma volta após fazer sua parada, Thiago Camilo errou no piso molhado, saiu da pista e foi superado por Marcos Gomes. Dessa forma, o campeão de 2015 ocupava a liderança com um carro da equipe KTF Sports, time estreante na categoria. Mas Daniel Serra, que ganhou a posição de Camilo após atrasar sua parada, conseguiu voltar para a pista na ponta – surpreendendo também por optar pelos pneus slick ao invés dos para chuva. A mesma estratégia foi adotada por Barrichello, que agora deixava Marcos Gomes em terceiro.

A 13 minutos do final, Camilo partiu para cima de Marcos Gomes na tentativa de tomar a terceira posição. Marquinhos soube se defender inicialmente, mas acabou perdendo o posto para o rival, que usou o botão de ultrapassagem para garantir a manobra. O piloto da KTF acabaria perdendo rendimento devido a uma falha no motor, e com isso também seria ultrapassado por Felipe Fraga.

Na dianteira do pelotão, Daniel Serra abria uma vantagem inimaginável em uma corrida extremamente competitiva e imprevisível. Com mais de dez segundos à frente de Rubens Barrichello, o segundo colocado, o filho de Chico Serra praticamente garantiu a vitória com uma condução calma e sem assumir riscos desnecessários. Mesmo assim, Serrinha chegou a colocar uma volta em Thiago Camilo, àquela altura o quarto colocado

 

O que disseram os protagonistas:

Daniel Serra, piloto vencedor: “Estava chovendo e eu comecei a fazer as contas: vi que não compensava colocar pneus de chuva, pois ela estava ameaçando parar. Aí, eu pensei: nós corremos a temporada toda, nos últimos dois anos, sendo cautelosos. Mas nessa não! Eu decidi correr do jeito prazeroso (e ficar com os pneus slick). Arriscamos (na estratégia), achei que ia dar certo. E estou muito feliz por essa decisão!”

Rosinei Campos, equipe vencedora: “Foi bastante difícil a decisão (de trocar para pneus de chuva ou não). E teve bastante confusão para administrar os dois carros, pois tínhamos uma janela limitada. Mas o Daniel resolveu permanecer na pista e a gente segurou o Ricardo também. Aí o Daniel tomou a decisão de continuar com pneus slick porque ele sentiu que ia parar de chover e que poderia continuar. Fizemos isso nos dois carros e foi muito acertado. Devemos muito a ele (Daniel Serra) essa decisão.”

Rubens Barrichello, segundo colocado: “Que sufoco! Que vitória poder dar isso para essa galera que trabalha muito. Os competidores que estavam com pneu de chuva brigavam entre eles, então eu decidi ficar quietinho. Mas o Cacá voltou com tudo, batemos e quebrou o esterço do volante. Para a direita não tinha curso, tinha que fazer bem devagar, e para a esquerda virava demais, então foi (como) uma vitória. Eu fico muito feliz em dar esse pódio para essa galera que trabalha tanto!”

Ricardo Mauricio, terceiro colocado: “Eu sabia que muita gente tinha entrado no box para o pit stop na primeira volta (da janela de paradas), logo que o box abriu. E a preferência na nossa equipe é sempre para o piloto que está na frente, então o Daniel tinha a preferência. Em uma parte da pista estava chovendo, na outra nem tanto, com seis voltas de box aberto. Aí me mandaram entrar e vi que muita gente já tinha entrado para trocar os quatro pneus. A gente só ia trocar dois, pois estávamos mais rápidos. Depois comecei a ter um pouco mais de cautela para passar o pessoal que estava com pneu de chuva, pois sei que não é fácil andar com pneu de chuva no seco.”

 

Confira abaixo o resultado extra-oficial:
1 . Daniel Serra ( Eurofarma RC ), 46 voltas
2 . Rubens Barrichello ( Full Time Sports ), a 22s893
3 . Ricardo Maurício ( Eurofarma RC ), a 44s775
4 . Thiago Camilo ( Ipiranga Racing ), a 1 volta
5 . Felipe Fraga ( Cimed Racing ), a 1 volta
6 . Marcos Gomes ( KTF Sports ), a 1 volta
7 . Nelson Piquet Jr ( Full Time Sports ), a 1 volta
8 . Cesar Ramos ( Blau Motor Sports ), a 1 volta
9 . Gabriel Casagrande ( Crown Racing ), a 1 volta
10 . Julio Campos ( Prati-Donaduzzi Racing ), a 1 volta
11 . Ricardo Zonta ( Shell V-Power ), a 1 volta
12 . Allam Khodair ( Blau Motor Sports ), a 1 volta
13 . Lucas Foresti ( Vogel Motorsport ), a 1 volta
14 . Gaetano di Mauro ( Shell Helix Ultra ), a 1 volta
15 . Rafael Suzuki ( Hot Car Competições ), a 1 volta
16 . Max Wilson ( RCM Motorsport ), a 1 volta
17 . Bruno Baptista ( RCM Motorsport ), a 1 volta
18 . Diego Nunes ( KTF Sports ), a 1 volta
19 . Bia Figueiredo ( Ipiranga Racing ), a 2 voltas
20 . Galid Osman ( Shell Helix Ultra ), a 2 voltas
21 . Cacá Bueno ( Cimed Racing ), a 2 voltas
22 . Denis Navarro ( Cavaleiro Sports ), a 2 voltas
23 . Felipe Lapenna ( Cavaleiro Sports ), a 2 voltas
24 . Guga Lima ( Vogel Motorsport ), a 29 voltas
25 . Valdeno Brito ( Prati-Donaduzzi Racing ), a 40 voltas
26 . Marcel Coletta ( Crown Racing ), a 43 voltas
27 . Pedro Cardoso ( Hot Car Competições ), a 43 voltas

CANAIS OFICIAIS STOCK CAR
Fotos: Flickr Stock Car
Youtube: stockcarchannel
Facebook : stockcaroficial
Instagram : @stock_car
Twitter : @stock_car
Site oficial : www.stockcar.com.br

Pódio e vibração: o clima de emoção contagiou a todos no Velopark (Duda Bairros/Stock Car)