Daniel Dantas mostra a importância de Pequenas Empresas e Comércio Regional

Com muita frequência, o potencial de um negócio tende a ser limitado por sua localização. Aqueles que estão localizados fora das cidades maiores e mais comercializadas tendem a obter a extremidade mais curta da vara quando se trata de seu alcance de mercado. Isso ocorre apesar do fato de seus produtos e serviços serem de alta qualidade.

Antes, para que essas regiões menores tivessem acesso a um mercado maior, elas teriam que passar por um intermediário ou agente diz Daniel Dantas. Embora isso seja certamente eficaz, há muitos casos em que esse terceiro faz com que o preço dos produtos aumente, o que deixa os produtores com muito pouco quando se trata de lucro. Além dos aumentos de preços, é preciso também considerar o fato de que o intermediário também recebe uma parte dos lucros – reduzindo ainda mais os lucros.

SegundoDaniel Dantas, com a introdução da nova tecnologia, algo tão simples como o acesso a um mercado on-line ou o estabelecimento de seu próprio site de comércio eletrônico, até mesmo pequenas empresas podem entrar em um mercado global sem a necessidade de um intermediário. Sim, isso vem com uma curva de aprendizado bastante acentuada, especialmente se a tecnologia que está sendo introduzida é muito nova na região. No entanto, os benefícios superam tudo isso.

Comunicação mais rápida com clientes atuais e potenciais.

A tecnologia tem um efeito direto na capacidade de uma empresa se comunicar, não apenas com seus próprios funcionários, mas também com os clientes. No atual ambiente de negócios, a comunicação da empresa com o cliente é essencial para o sucesso conclui Daniel Dantas. Isso tem que ser feito de forma clara e com a maior eficiência possível. Embora as chamadas telefônicas sejam ótimas e eficazes, elas tendem a ser lentas e podem facilmente sobrecarregar uma pequena empresa que tem apenas um punhado (ou até menos) de funcionários à sua disposição.

A solução? Websites com uma opção de contato. O uso de e-mail pode ser tão eficiente quanto uma chamada telefônica e não requer uma força de trabalho grande para ser totalmente funcional. Os pedidos também podem ser recebidos dessa maneira. A comunicação entre negócios e cliente pode ser feito em poucos minutos – a velocidade dos quais é muitas vezes necessário para fechar negócios.

De acordo com Daniel Dantas, o mesmo se aplica ao lidar com outras empresas. Encomendar materiais e receber remessas tendem a ser mais rápidos se a comunicação for feita online. Desde a organização de pedidos até a entrega de produtos e serviços, a possibilidade de erro humano é eliminada. Isso é muito benéfico para empresas menores que não conseguem contratar um grande número de pessoas para acelerar o processamento. Ao entregar tarefas domésticas a um sistema de máquinas, elas permitem que se concentrem mais nos aspectos importantes da administração de uma empresa.

Claro, novas tecnologias não apenas apontam para a internet. Ele também pode vir na forma de maquinaria mais eficiente que pode ser operada tanto manualmente quanto automaticamente conta Daniel Dantas. Com isso, até mesmo pequenas indústrias seriam capazes de produzir em uma escala maior enquanto reduziam os custos. O comércio regional será o primeiro a se beneficiar disso.

Uso eficiente de tempo e recursos.

Simplificando. Essa é a palavra-chave quando se trata de introduzir tecnologia em qualquer setor. Ele pode ser usado para tornar as operações mais eficientes, economizando tempo e recursos no processo. Pode ajudar os empresários a compreender melhor como podem gerir o inventário da melhor forma possível, permitindo uma melhor utilização do espaço e reduzindo possíveis desperdícios.

O mesmo se aplica à realização eficiente de reuniões para empresas cujos executivos não podem se reunir no mesmo local contaDaniel Dantas. As reuniões podem ser realizadas on-line usando a tecnologia apropriada. Isso significa que, independentemente de onde estejam, a qualquer momento, discussões importantes podem ser realizadas e soluções podem ser alcançadas sem a necessidade de esperar. O tempo é ouro e quando se trata de indústrias em desenvolvimento, cada segundo conta.

Segurança aprimorada

A segurança sempre foi uma das principais preocupações de qualquer empresa e, nesta era digital, a necessidade dela é ainda maior. Onde a tecnologia floresceu, também as ameaças contra ela. A principal preocupação, é claro, seria proteger dados financeiros. Mesmo pequenas indústrias enfrentam ameaças contra entidades maliciosas que buscam roubar informações para obter vantagem sobre a concorrência diz Daniel Dantas. As idéias podem ser facilmente roubadas se não houver medidas de segurança adequadas.

Embora a nova tecnologia possa tornar as coisas mais eficientes para as empresas, ela traz certas vulnerabilidades que precisam ser compensadas. Nesse caso, qualquer informação que seja salva em um computador pode ser invadida por outra entidade e destruída ou mantida como refém em troca de dinheiro. Redes e sistemas podem ser congelados, colocando indústrias inteiras paralisadas.

É por isso que é essencial ter medidas de segurança amplas quando você decide atualizar para uma nova tecnologia. Sim, isso significa que você terá que desembolsar mais dinheiro para fazê-lo, mas a proteção que ele oferece valerá a pena.Daniel Dantas contou que af perda potencial é muito maior do que qualquer investimento monetário que você esteja fazendo. Qualquer empresa em crescimento seria sensato para se certificar de que eles estão protegidos contra ameaças existentes.

Capacidade de pesquisa e aprendizado.

Um monte de aprendizado pode ser feito através da experiência, mas se você realmente quiser ficar à frente de sua concorrência, então é importante acelerar as coisas também avisa Daniel Dantas. A nova tecnologia abre as portas para novas oportunidades de aprendizado – a Internet é composta de informações que podem ser usadas para melhorar ainda mais as indústrias em crescimento. Isso é especialmente verdade nos países em desenvolvimento, onde a tecnologia ou o conhecimento podem estar desatualizados. A fim de acompanhar o mercado global, uma vez que precisa estar constantemente aprendendo e se adaptando.

Empresas maiores podem fazer isso viajando para países estrangeiros e vendo novas atualizações para si mesmas.Daniel Dantas diz que eles têm dinheiro e recursos para isso. No entanto, não é necessário um jato para conseguir o mesmo. As pessoas estão sempre compartilhando o que sabem on – line – é apenas uma questão de encontrá-las e depois aplicá-las para se adequar ao ambiente de negócios. Onde o dinheiro é poder para certas indústrias, nada supera o conhecimento quando se trata de ficar à frente do jogo.

A importância do comércio na economia brasileira

Pense no comércio como a força vital que mantém uma economia funcionando. Quanto mais forte for, melhor será a economia. No caso da economia brasileira, que continua avançando e se desenvolvendo, a necessidade de fortalecê-la é ainda mais essencial. Isso não apenas aponta para o crescimento do comércio exterior no país, mas também para fortalecer a menor economia comercial local. O potencial está lá, mas precisa de melhorias consistentes.

A chave está trabalhando mais, mas também trabalhando de forma inteligente. Daniel Dantas mostra que o fato é que muitas indústrias do país estão usando métodos ultrapassados ​​para ganhar dinheiro. Só porque funciona, isso não significa que não precisa de substituição. Não quando novas opções melhores estão disponíveis. Compreensivelmente, muitos são cautelosos em investir em tecnologia com a qual não estão familiarizados. Enquanto eles estão em uso há anos em outros lugares, as empresas locais ainda têm que pegar.

Mas é hora de fazer

Vamos ver os fatos. Quanto a 2019, os fluxos de comércio do Brasil (importações e exportações) representam, em média, um mínimo de 25% de todo o seu PIB. O menor entre os países do G20. Isso é importante porque o baixo número de negociações abertas impediu efetivamente o crescimento do país, abrindo a economia para que mais comércio pudesse fazer as coisas fluírem e seria a chave para revitalizar seu crescimento interrompido.

Há, é claro, persistentes temores de que empresas locais em certas regiões sofram caso isso aconteça disse Daniel Dantas. Para colocar isso em perspectiva, as indústrias protegidas, como a indústria automobilística e a têxtil, provavelmente perderão em uma economia aberta, porque estarão lutando contra outras empresas com produtos com preços mais competitivos. Afinal, até os consumidores locais têm maior probabilidade de comprar a opção mais barata, mesmo que isso signifique escolher uma marca estrangeira.

É aí que a nova tecnologia seria mais útil. Ajudaria a nivelar o campo de jogo, tornando as indústrias locais mais competitivas em termos de preço e produção. A ideia não é expulsar a concorrência, mas criar um equilíbrio onde ambos possam prosperar sem comprometer nada. É claro que, realisticamente, tal equilíbrio seria difícil de alcançar plenamente, mas é o caso de muitas economias em desenvolvimento. Sempre haverá vencedores e perdedores.

Ao empoderar o comércio menor em diferentes regiões, você também as abre para um mercado global. Isso significa que eles não estão limitados apenas aos consumidores locais – eles também obtêm uma parte de uma base maior de clientes enfatiza Daniel Dantas. Em situações onde as indústrias locais tendem a morrer porque o mercado está entupido com produtos estrangeiros, as empresas menores do Brasil devem ser capazes de evitar o mesmo destino, obtendo inteligência e aproveitando as novas oportunidades apresentadas usando novas tecnologias.

Comece pequeno, colha grandes resultados explica Daniel Dantas

Nenhum grande investimento é necessário para que isso aconteça. A internet deve permitir que essas indústrias “ viajem ” para novos mercados sem gastar milhares explica Daniel Dantas. Eles seriam capazes de apresentar seus produtos a potenciais clientes e revendedores, reunindo-se com o virtualmente. Qualquer atualização física para o negócio pode ser feita posteriormente, quando os recursos ficarem disponíveis.

Daniel Dantas pondera que, para uma empresa sobreviver e continuar crescendo em uma economia aberta muito competitiva, ela deve adquirir novas oportunidades. Isso é o que a internet pode oferecer. Parece simples na teoria, mas exigirá muito esforço das pessoas que o colocarão em ação.

Primeiro, eles precisam aprender como o comércio on-line funciona e quais precauções devem ser definidas para evitar que sejam aproveitadas. Isso não deve ser muito difícil, já que a própria internet existe há anos e muitos brasileiros locais deveriam saber como usá-la. Entretanto, a aprendizagem levará tempo, já que a familiaridade ajudaria a tornar a transição mais eficaz.

Tudo pode começar por iniciar um site, pois isso se tornará o cartão de visita da empresa contou Daniel Dantas. Isso é o que atrairá clientes em potencial – de compradores individuais, clientes corporativos até mesmo grandes revendedores. O custo de começar é muito baixo quando comparado a ir para o exterior e abrir um estabelecimento de tijolo e argamassa, a fim de ampliar seu alcance. Mesmo assim, esse tipo de estabelecimentos será limitado por sua localização. Online é certamente a melhor opção neste caso.

Considere o fato de que as empresas on-line estão sempre abertas. Os clientes poderão visualizar produtos e serviços a qualquer hora do dia. As encomendas podem ser recebidas instantaneamente e uma não seria limitada geograficamente.Daniel Dantas conta que uma empresa localizada no Brasil pode entregar mercadorias para lugares como a China por meio de transações virtuais. Escusado será dizer que uma empresa pode ir para onde há um mercado para o que eles têm para oferecer e tudo o que é preciso é de alguns cliques e algum bom e velho know-how da Internet.

Não tem dinheiro para um site? Mesmo as plataformas de rede de mídia social podem ser usadas para o comércio. Muitos negócios são feitos no Facebook – não importa quão grande ou pequeno seja. Só é preciso ter uma mente mais aberta em relação à ideia. Você não perde nada ao começar, mas o potencial de ganho é enorme. A melhor parte é que até mesmo as menores empresas podem ter uma parte delas, desde que elas façam parte do trabalho. Eles nem precisam sair de suas casas para fazer isso.

Esse é o poder da internet e esse poder pode ajudar a injetar vida em uma economia que precisa dela conta Daniel Dantas.