Confira as principais doenças que mais afetam os pets domésticos

Alergias, infecções e problemas no canal auditivo são algumas das principais ameaças aos bichos de estimação.

Os animais de estimação ajudam a elevar o astral de uma casa e são verdadeiros companheiros para os seus donos. Por essa alegria que eles são capazes de acrescentar na vida das pessoas, é natural que os tutores se preocupem com a saúde e o bem-estar de seus bichinhos, querendo sempre o melhor para eles.

Portanto, é normal que muitos tenham receio dos animais ficarem doentes. É preciso prevenir e combater enfermidades para que os pets não tenham complicações piores e a saúde ainda mais prejudicada. Isso consiste em procurar adotar um estilo de vida saudável para eles. Também é necessário saber um pouco sobre as principais doenças que acometem os bichos de estimação.

Se você não conhece muito sobre o assunto, este texto é uma excelente forma de inteirar-se, facilitando a identificação de sintomas e sabendo como proceder para tratar do animal. Lembre-se de que, antes de tomar qualquer atitude, você deve procurar a orientação adequada do médico-veterinário responsável por acompanhar a saúde do seu animal de estimação.

Erliquiose (doença do carrapato)

Donos de cães sabem a ameaça que carrapatos e pulgas representam para os animais. Esse medo não é à toa. O carrapato, por exemplo, pode transmitir uma infecção grave, conhecida como Erliquiose, causada pelas bactérias do gênero Ehrlichia. A doença é mais comum em cachorros, acontecendo raramente em gatos.

A transmissão costuma acontecer quando o carrapato contamina-se ao absorver o sangue de um animal doente e, em seguida, parasita o seu bicho de estimação. Entre os sintomas, estão os problemas de hemorragia, insuficiência renal, anemia e inflamações oculares. Se não tratada, a bactéria pode levar o cão à morte.

O tratamento é feito com remédios receitados pelo veterinário. A melhor forma de prevenir a doença é aplicar, mensalmente, medicamentos contra ectoparasitas, que impedem que eles fiquem no corpo do cachorro. Higienizar a casa com regularidade também é uma medida preventiva válida.

Obesidade

Cães e gatos também podem desenvolver problemas sérios de saúde se ficarem muito acima do peso. A obesidade nos animais é causada quando eles têm uma dieta não saudável em sua rotina de alimentação, reforçada pelo sedentarismo. Existem raças que, inclusive, são mais propensas a sofrerem com esse problema.

Cachorros e gatos obesos facilitam o surgimento de outras complicações de saúde, como diabetes, doenças cardiovasculares e problemas nas articulações. O alto nível de colesterol e triglicérides no organismo também colabora para desencadear problemas como paralisia, danos nos olhos e convulsão.

O tratamento exige um bom plano nutricional, que inclua uma nova ração para o pet, podendo, até mesmo, ser natural, e adoção de uma rotina de exercícios diários. A prevenção funciona de forma semelhante: procure sempre brincar e exercitar-se na companhia do seu bichinho, proporcionando uma dieta de qualidade, sem exageros.

Otite

A otite é a popular inflamação de ouvido. Sua origem pode ser das mais variadas: parasitária, infecciosa, seborreica ou fúngica. Você pode suspeitar desse quadro se perceber que seu animal coça as orelhas com frequência ou balança muito a cabeça. A liberação de uma secreção amarelada ou enegrecida, mal cheirosa, também é outro sinal.

Se não for devidamente tratada, a otite pode causar problemas ainda mais graves, como meningite e infecção generalizada, o que pode levar ao óbito. A prevenção consiste em proteger as orelhas durante o banho, limpando o canal auditivo externo com cuidado.

O tratamento irá depender do tipo de infecção presente no organismo. Será utilizado antibióticos para os casos de otites bacterianas; antiparasitários para os tipos parasitários; antifúngicos quando for uma otite fúngica; e ceruminolíticos para os casos de otites seborreicas.

Alergia alimentar

Cães e gatos estão suscetíveis a vários tipos de alergia. Uma das principais é a alimentar, que consiste em uma resposta imunológica exagerada do corpo quando ele detecta uma determinada substância presente na comida. Essa alergia causa vermelhidão na pele, coceira e perda de pelos.

A coceira pode ser tão intensa que existe o risco do animal ferir a própria pele, buscando resolver o problema. Outros problemas, como diarreia e vômito, também são possíveis. As causas mais comuns são conservantes, aditivos e demais substâncias químicas presentes nas rações dos animais.

O tratamento e a prevenção, de uma maneira geral, consistem na mudança da ração dada ao animal. Opte por fórmulas especiais ou mesmo refeições caseiras, com a devida orientação médica. Não compre rações duvidosas e sirva a comida em uma tigela de alumínio em vez de uma de plástico, que também pode causar a alergia.

Instagram