Como os dados do Spotify podem ajudar os artistas

A plataforma de streaming traz informações precisam que ajudam os profissionais da música e elaborarem estratégias certeiras de divulgação

Quem trabalha com música sabe que o Spotify é uma ferramenta que não pode ser ignorada. A plataforma de streaming sueca já conta com mais de 270 milhões de usuários ativos espalhados pelo mundo.

De acordo com dados divulgados pela empresa em fevereiro de 2020, apenas no último trimestre de 2019, o número de assinantes premium, que representam 90% da receita, somaram 124 milhões. Dois milhões a mais do que era esperado para o período. Por aí se vê a importância dessa plataforma para quem faz da música um negócio que precisa dar lucro.

Assim como as demais relações comerciais, o consumo de música mudou bastante nos últimos anos. E a plataforma percebeu o latente desejo da sociedade por agilidade e levou o conceito para o universo musical.

Com a vida cada vez mais corrida e o celular no centro das interações sociais, as pessoas não querem mais perder tempo para colocar um CD para tocar ou baixar um mp3.

É aí que entra o Spotify. Permite a criação de playlists de acordo com o gosto do usuário. Com um clique ou dois, é possível ouvir aquilo que realmente interessa sem perder mais do que cinco minutos.

Dessa forma, os músicos e gravadoras tiveram que criar outra relação com o público que, apesar do distanciamento, ficou mais estreita com os dados disponíveis pela plataforma.

Por quê? Veja a seguir.

Traçando o perfil do usuário

Como se sabe, cada movimentação de um usuário na internet fornece informações preciosas para as empresas e direcionam as propagandas. Com o Spotify não é diferente.

Cada vez que uma pessoa pula de Anitta para Anavitória ou coloca uma mesma canção para tocar um sem fim de vezes, está deixando uma pista para que a plataforma entenda mais sobre os seus gostos musicais e consiga traçar o perfil desse consumidor.

Segundo dados da própria plataforma, são bilhões de dados coletados diariamente e disponibilizados para os profissionais da música. Revelam mais do que dados demográficos, mas mostrando o estado de espirito, predisposições, gostos e comportamentos.

Conhecê-los facilita a estratégia de marketing e direcionam a tomada de decisões no rumo da carreira dos artistas, além de ajudar a definir quanto cada um tem a receber do Spotify.

Hábitos de consumo de música

O Spotify conseguiu mapear cinco hábitos de consumo de música dos seus usuários que contribuem para o planejamento dos empreendedores da música. São eles:

  1. Descoberta: quanto as pessoas procuram músicas novas;
  2. Diversidade: a variedade de músicas que cada usuário ouve;
  3. Inclinação: ao ritmo da curadoria que as pessoas fazem das músicas disponíveis na plataforma;
  4. Nostalgia: o hábito de ouvir músicas que marcaram gerações;
  5. Obsessão: quanto as pessoas ouvem a mesma música repetidas vezes.

Cada um desses itens é levado para a análise de perfis pré-estabelecidos e trazem informações precisas sobre cada público. Ou seja, um artista cujo público-alvo seja a geração millennial (25 a 40 anos) saberá exatamente o que essas pessoas procuram e o quanto escutam a sua música.

Todas essas informações podem ser utilizadas para identificar em quais desses estágios o artista deve agir para otimizar seu desempenho junto a sua audiência.

Além do comportamento da geração Y, também já estão disponíveis dados relevantes sobre o uso do Spotify feito por mães e viciados em tecnologia.

Por que os dados o Spotify coleta são importantes?

Quando falamos em estratégia de marketing, é fundamental que façamos uma pesquisa de mercado para planejar uma estratégia que seja realmente eficiente para atingir o público-alvo de cada produto.

Isso também é importante na divulgação do trabalho de um músico e o Spotify já traz esses dados detalhados para os artistas. Informações como idade, gênero e idioma é possível fazer a conexão com pessoas que realmente possa se interessar pelo seu trabalho.

E tudo fica ainda mais certeiro quando se consideram os dados de interesse e comportamento, que também podem ser acessados pela plataforma de streaming.

Para quem entende o próprio talento como um negócio é fundamental ter acesso a toda informação que possa melhorar a gestão da carreira artística em uma sociedade que está cada vez mais competitiva. Ferramentas não faltam.