Como incentivar as crianças à carreira de gamer profissional

Crianças estão cada vez mais interessadas em seguir a carreira de gamer profissional. Pais têm o desafio de incentivá-las e ajudá-las a não deixar de lado as obrigações escolares

É um consenso dizer que as crianças que nasceram nos anos 2010 já vieram preparadas para manusear, com destreza, todos os equipamentos tecnológicos. E não é por acaso: elas estão crescendo junto com uma intensa revolução digital e são acostumadas, desde cedo, a mexer em tablets, smartphones e computadores.

Muitas dessas crianças desenvolvem particular interesse pela carreira de gamer. O que até pouco tempo era só hobby de marmanjos virou mesmo uma profissão e, pela familiaridade que as crianças têm com esse universo, muitas sonham não mais em ser jogadores de futebol, médicos ou bombeiros, mas sim gamers profissionais.

Os pais e responsáveis têm a difícil missão de incentivá-los à carreira e, para isso, estão sempre à procura do último game lançado, de computadores com processador rápido, cadeiras confortáveis, etc. No entanto, ao mesmo tempo que oferecem incentivos, os pais também devem ajudá-los a cumprir outras tarefas, como, por exemplo, manter um bom desempenho escolar.

O que dizem médicos e psicólogos

Há algumas décadas, as crianças imploravam para os pais as deixarem ficar na rua, brincando com os amigos. Hoje em dia, com os milhares de equipamentos e dispositivos digitais, é muito raro uma criança trocar o videogame, jogado em casa, por uma partida de futebol com os amigos, jogada na rua. Isso, porque elas podem ser grandes craques do futebol jogando videogame.  

Esse comportamento começa a acontecer cada vez mais cedo. Psicólogos e médicos pediatras alertam, no entanto, que os pais devem tentar retardar o máximo que puderem a iniciação dos filhos nos videogames, tablets e smartphones. É recomendado que eles tenham um acesso mais liberado apenas a partir dos 6 anos.

Isso, porque, segundo algumas pesquisas, as crianças que logo cedo têm contato com esses equipamentos têm mais propensão a desenvolver problemas de fala e mesmo de socialização. Isto é, elas têm maior dificuldade de se expressar com clareza e também acabam não conseguindo fazer amizades com outras crianças.   

Com que idade permitir o acesso aos dispositivos e jogos

A Associação Americana de Pediatria (AAP) indica que crianças menores de 6 anos devem ter um acesso mais limitado aos dispositivos digitais e aos games. Entre os dois e os cinco anos, por exemplo, a AAP recomenda apenas uma hora de acesso, com a companhia dos pais.

Crianças maiores de seis anos já podem ter um contato maior, mas cabe aos pais definir limites de horas e quais os games e conteúdos podem acessar. Segundo a APP, é indispensável que os pais acompanhem as crianças em suas atividades pelo universo digital, inclusive quando estiverem jogando.

Como incentivar as crianças

Embora pareça brincadeira, a carreira de gamer profissional, como a de um atleta, por exemplo, exige diversos sacrifícios. Os gamers passam muitas horas treinando e muitas vezes enfrentam o confinamento e o isolamento social – comportamentos não tão saudáveis para as crianças.

Por isso, cabe aos pais e responsáveis ajudar a tornar o sonho não apenas possível, mas principalmente saudável.

Não atrapalhar o progresso estudantil

Um primeiro passo para os pais cujos filhos querem ser gamers é mostrar que a carreira não pode atrapalhar o progresso estudantil, ou seja, não é possível trocar a escola pela tela do computador. Ambos podem e devem andar juntos.

É necessário ficar atento ao desempenho dos jovens na escola e, ao sinal de qualquer dificuldade, conversar com as crianças para entender o que está acontecendo. Para isso, é interessante contar com a ajuda de professores e orientadores, já que eles passam boa parte do dia acompanhando as crianças.

Manter um diálogo aberto

É de extrema importância que as crianças logo cedo sejam incentivadas a manter um diálogo aberto e franco com os pais. Os pequenos precisam entender que nessa relação, antes de tudo, têm proteção e cuidado. Por isso, os responsáveis devem se manter abertos e solícitos às falas dos filhos.

A importância do diálogo aumenta ainda mais quando as crianças começam a ter acesso aos dispositivos digitais e à internet, pois em qualquer situação estranha ou incomum, os filhos devem se sentir seguros para falar com seus pais.

Levá-los a campeonatos e jogos

Existem diversos campeonatos nacionais e internacionais de gamers que são encarados como os torneios de futebol, basquete ou tênis. É interessante que os pais se mostrem dispostos a levar os filhos nesses campeonatos, como uma forma de dizer que eles acreditam no sonho e estão lutando junto com os filhos pelo sucesso.