Como a composição do quarto do bebê influencia seu desenvolvimento

Confira como móveis e objetos presentes no quarto do bebê são importantes para seu crescimento

Mais do que um ambiente de descanso rico em decoração e fofurices, o quarto do bebê pode ter grandes impactos no desenvolvimento dele.

Fatores como altura da cama ou berço, cômoda ou guarda-roupa e estante ou prateleira de brinquedos têm influência direta nessa questão, pois colocam em pauta a segurança, a mobilidade e até mesmo a independência da criança.

Nos quartos mais tradicionais, por exemplo, o berço é um item indispensável, assim como a cômoda e o guarda-roupa que compõem o jogo de quarto. No entanto, esses móveis foram projetados para serem utilizados pelos adultos e não pelos bebês.

E independentemente da fase da infância em que a criança se situa, a altura dos móveis convencionais impossibilitam o acesso desta aos compartimentos em questão. E ainda que bebês sejam seres dependentes, vale a pena ressaltar que em torno dos 6 meses eles já engatinham, sendo capazes de se locomoverem sozinhos.

Pensando nisso, apresentaremos uma composição de quarto de bebê projetada para uso exclusivo dele, os benefícios para o seu desenvolvimento e todos os cuidados que precisam ser tomados.

Quarto montessoriano para bebê

O quarto de bebê montessoriano segue a metodologia de ensino Montessori, criada por Maria Montessori (1870-1952) — pedagoga, educadora e médica italiana. Esse método dá ênfase à autonomia e à liberdade, com limites e respeito ao desenvolvimento natural das habilidades psicológicas, físicas e sociais da criança.

Portanto, a construção do quarto é feita com base na necessidade do bebê e, é claro, de acordo com a sua idade. No entanto, vale a pena ressaltar que essa  composição de quarto pode ser utilizada em qualquer faixa etária, incluindo a de recém-nascidos.

Móveis

A principal diferença dessa composição em relação às tradicionais é que não há berço, apenas uma caminha no chão, que pode ou não possuir uma estrutura de madeira fina em sua base.

Dessa forma, a segurança do bebê está garantida, pois não há risco de queda de grandes alturas e, ainda, oferece a possibilidade do bebê se movimentar pelo quarto ao acordar.

Para isso, recomenda-se o uso de placas de EVA ou tapetes fofinhos nos pés da cama, para que o bebê não se machuque ao rolar. É uma maneira excelente de estimular a independência respeitando a ordem natural do desenvolvimento de cada criança.

Já em relação à cômoda e ao guarda-roupa, há araras mais baixas que permitem que o bebê escolha o que vestir depois de certa idade. Entretanto, a cômoda segue no quarto como um item indispensável de utilização adulta, pois é nela que as roupas são organizadas e o bebê costuma ser trocado.

Elementos

Outros elementos existentes no quarto montessoriano que impactam diretamente o desenvolvimento do bebê, são:

  • Espelho: que permite que o bebê se enxergue e reconheça a si mesmo. Ele deve estar na altura da criança, mas bem preso à parede para evitar acidentes.
  • Estantes, prateleiras ou nichos baixos: onde devem ser expostos alguns dos brinquedos, livros e atividades favoritas do bebê, para que ele tenha acesso a eles de forma independente.
  • Mesinha e cadeira: para a realização de atividades supervisionadas, como pintura, quando o bebê já estiver conseguindo se sentar sem apoio.
  • Barra de apoio: geralmente composta por madeira e colocada em frente ao espelho, a barra de apoio é ótima para ajudar o bebê a se levantar sozinho. Além disso, também podem ser colocados brinquedos como argolas para estimulá-lo.

Cuidados a serem tomados

Como todo o espaço do quarto será utilizado pelo bebê, é preciso tomar uma série de cuidados, tanto relacionados à segurança da criança quanto à qualidade do sono que ela terá.

Pois, por mais que o quarto deva possuir uma decoração que estimule o desenvolvimento infantil, não se pode esquecer de que é um ambiente de descanso, então, é preciso dosar para não superestimular o bebê e atrapalhar o sono dele.

Já em relação à segurança, é de extrema importância proteger tomadas, bem como cantos pontudos e qualquer outro objeto que possa pôr em risco a integridade física do bebê.

E, como já mencionamos, fazer uso de tapetes acolchoados para que não haja fortes impactos em possíveis quedas é importante. Além disso, aplicar telas de proteção nas janelas e portõezinhos, que geralmente são utilizados para bichinhos de estimação, para que o bebê não saia do quarto garante uma maior segurança.