Cinema brasileiro muda de estratégia em tempos de Covid-19

Cinema drive-in e catálogo online são algumas estratégias

Com a pandemia do novo coronavírus, o isolamento social foi a principal medida encontrada para reduzir o número de contaminações. Como consequência dessa nova forma de viver, vários estabelecimentos precisaram fechar as lojas, cenário que obrigou a criação de novas formas de praticar o comércio, atender às demandas dos clientes, entre outras coisas.

A recomendação para evitar aglomerações de pessoas afetou grandemente o setor da cultura, possibilitando apresentações de teatro, shows de música e comprometendo o funcionamento de boates e bares. Os cinemas também precisaram fechar as portas, já que um ambiente com várias pessoas confinadas por horas não correspondia com os esforços para reduzir a contaminação de Covid-19.

Apesar disso, ainda era possível encontrar salas de cinema abertas no país até o começo de maio – o Cine Santa Rosa e o Cine Três Passos, ambos no Rio Grande do Sul, sendo que o primeiro segue em funcionamento. Entre os dias 23 e 26 de abril, o público total das duas salas de cinema foi de 157 pessoas. O funcionamento das salas ficou limitado a 30% da capacidade máxima, respeitando a recomendação de distanciamento de dois metros entre cada pessoa.

Com esse cenário, notou-se o crescimento de um formato que perdia a popularidade: o cinema drive-in. Esse modelo consiste em uma espécie de exibição de filmes a céu aberto, com o público assistindo ao filme de dentro do próprio carro, com a trilha do longa sendo transmitida no som do próprio veículo por uma frequência de rádio. Estacionamentos e outros espaços amplos se tornaram – ou estão em projeto de se tornar – ambientes preparados para o cinema drive-in, seguindos as recomendações de afastamento social.

No Distrito Federal, um cinema ao ar livre tradicional e que até a época do coronavírus era o único em operação no Brasil tem funcionado respeitando as recomendações, com o fechamento da lanchonete e reduzindo as entradas no banheiro do local. O espaço entre os carros também foi aumentado, reduzindo a capacidade do local, que mesmo assim viu os números crescerem nas últimas semanas.

O catálogo de filmes online é outra maneira usada pelos cinemas do Brasil para continuar faturando de alguma forma. Com o crescimento das plataformas de streaming, permitir que o espectador tenha acesso a um acervo online é uma maneira de reduzir os danos até o fim da quarentena, ainda que sem a experiência – e o faturamento – das salas de cinema convencionais.

Já que não é possível realizar visitas ao cinema, a solução é recriar o passeio em casa, atividade que pode ser divertida principalmente para quem tem crianças em casa, ajudando os pequenos a se sentirem mais confortáveis durante a quarenta. A experiência fica ainda melhor com uma TV 65 polegadas ou similar, criando um efeito de tela de cinema. Um lanche divertido, como pipoca, refrigerante e balas, é obrigatório para deixar a sessão ainda mais completa.

Crédito: Divulgação

Instagram