Chef premiado explica como realiza a gestão de seus 8 restaurantes em SP

O Foodservice, mercado de alimentação fora de casa que engloba bares, lanchonetes e restaurantes, cresce cada vez mais no Brasil. Segundo o Instituto Food Service Brasil (IFB), esse mercado atende cerca de 160 milhões de consumidores mês e movimenta em torno de 100 bilhões de reais/mês.

Foodservice

Dentro desse cenário em franca expansão, o aprimoramento de técnicas de gestão dentro dos restaurantes é fundamental para a saúde dos negócios, principalmente com a grande concorrência enfrentada no setor.

Foi o que o Chef Marcos Livi fez. Com 37 anos de experiência no ramo da gastronomia,  o proprietário da Companhia de Gastronomia e Cultura procurou opções que trouxessem aos seus negócios sustentabilidade, aumento de lucratividade e redução de processos.

Instituto Food Service Brasil (IFB)

A Companhia de Gastronomia e Cultura engloba nove empreendimentos gastronômicos como os bares Veríssimo e Quintana em São Paulo e o Parador Hampel, na Serra Gaúcha e conta com 350 colaboradores. Livi percebeu que sem um sistema de gestão eficiente, o foco da equipe acabava indo para o lado errado. “No ramo da gastronomia nós precisamos estar preocupados em atender o cliente, gastando o mínimo de tempo possível com administração. Nosso foco deve estar em fazer comida, servir bebida e atender o cliente”.

Marcos Livi precisava de um sistema que integrasse as informações de seus nove empreendimentos em um sistema central de fácil acesso e monitoramento. Do estoque ao fluxo de caixa, a ferramenta deveria fazer com que as informações fluíssem de maneira eficaz entre os empreendimentos.

A solução encontrada foi o EVEREST, ERP desenvolvido pela empresa curitibana ACOM Sistemas. Por meio de uma interface de integração própria, os dados coletados nos PDV’s (Pontos de Vendas) das lojas são transmitidos para o servidor central, onde são processados e atualizam a posição individual e consolidada dos estoques, do financeiro, do contábil e do fiscal de cada loja.

Eduardo Ferreira, Diretor Comercial da ACOM Sistemas entende que o segmento de Food Services demanda agilidade em suas operações e o EVEREST possibilita uma gestão integrada de suprimentos. “Ele facilita a reposição de produtos e embasa o setor de compras com informações de qualidade e em tempo real”.

Marcos Livi é proprietário da Companhia de Gastronomia e Cultura, que engloba 9 empreendimentos: oito restaurantes em SP e um hotel na serra gaúcha-Foto:Divulgação

Mesmo com pouco tempo de uso do EVEREST, Marcos Livi já vê grandes mudanças dentro de seus restaurantes. Em uma estimativa inicial, houve uma economia de 10% com compras, já que os sistema ajuda a tomar decisões de compras mais assertivas. “Com apenas um clique na tela eu já tenho a operação inteira, eu consigo ver a questão de economia e a gestão de estoque”. 

Entre as melhorias também estão as relacionadas à sua equipe, que realizava várias atividades de forma manual e que agora volta toda a sua potencialidade e know how para a parte de atendimento ao cliente. Além disso, já está sendo percebida uma redução drástica no uso de papel por parte do administrativo, que tende acabar por completo. 

Foi assim que ele notou a necessidade de uma boa gestão para os restaurantes. “A automação torna-se importante na medida em que ela faz de seu negócio sustentável. A tecnologia traz um forte poder competitivo, quem a possui, consegue dar uma atenção maior aos seus clientes”, aconselha Marcos.