Casa-Museu Ema Klabin promove encontros com grandes escritores

Milton Hatoum, Betty Milan, José Roberto Walker. Além de novos talentos como Fabiana Vanz 

A Casa-Museu Ema Klabin continua com sua rica programação cultural pelo Projeto #CasaMuseuEmCasa.  Durante os meses de julho, agosto e setembro estão confirmadas lives com grandes nomes da literatura, mediadas por Ana Beatriz Demarchi, entre eles:  Milton Hatoum, Betty Milan, José Roberto Walker. Além de novos talentos como a escritora Fabiana Vanz que terá a mediação de Paloma Durante.

Encontro com escritores: outros olhares 

O programa Encontro com escritores: outros olhares será pela plataforma Zoom Meeting. Cada encontro, com cerca de uma hora e vinte minutos, terá transmissão ao vivo e depois ficará disponível nas redes sociais do museu.  Serão 50 minutos para mediação e 15 minutos para perguntas do público. São apenas 95 vagas, os interessados devem se inscrever antecipadamente pelo site do museu (https://emaklabin.org.br/). As inscrições para a primeira live estarão abertas a partir do dia 20/07.

Durante os encontros, o público terá um panorama sobre o processo de escrita, as relações com a realidade social e política do Brasil, os temas preferidos e as obras desses grandes mestres da Literatura. Serão destacados livros premiados como, Neve na Manhã de São Paulo, de José Roberto Walker,  um romance histórico e realista que conta a arrebatadora história de amor entre Oswald de Andrade e a normalista Miss Cyclone, no pré-modernismo na São Paulo do início do século XX. Assim como o último livro de Betty Milan, Baal, que narra um drama sempre atual, o da imigração. Além disso, a obra “O lugar mais sombrio” do premiado escritor Milton Hatoum.

De acordo com a mediadora Ana Beatriz Demarchi Barel,  os três escritores conseguem o equilíbrio entre o que de fato importa a um leitor do Brasil ou de qualquer outro lugar do mundo. “ Convidamos três escritores cujas obras trazem para o centro da discussão temas ou personagens pouco privilegiados na Literatura. As publicações têm também uma forte repercussão entre os leitores e creio que isso se deva em parte ao fato de que os escritores aceitam o desafio de tratar de questões difíceis, que correm à margem da sociedade; por serem destemidos e discutirem ideias estabelecidas, colocando-as em questão. Também pensei que minha escolha devesse abarcar autores que expressassem projetos distintos entre si, ricos e sofisticados”, explica a mediadora que é doutora em Letras pela Université Paris III Sorbonne Nouvelle e pós-doutora em História na Fundação Casa de Rui Barbosa, no IEB-USP.

O evento também vai mostrar novos talentos, como a jovem escritora Fabiana Vanz Dias que lançou seu primeiro livro “Sobre a coragem do medo e outras loucuras sãs”, pela editora Patuá. 

Segundo a coordenadora do curso da Casa-Museu Ema Klabin, Cristina Moutela, os encontros seguem o tema da Casa-Museu Ema Klabin em 2020 “Outras Narrativas”. “Nesses encontros com escritores pretendemos trazer pedaços do Brasil, registrados por outros olhares, outras narrativas”.

Casa-Museu Ema Klabin  #CasaMuseuEmCasa

Encontro com Escritores: Outros Olhares

95 vagas

Inscrição :  https://emaklabin.org.br/ a partir do dia 20/07 (Para primeira live)

Mediação Ana Demarchi Barel

29 de julho, quarta-feira, das 17h às 18h20 – Betty Milan

12 de agosto – quarta-feira, das 17h às 18h20 – José Roberto Walker

26 de agosto – quarta-feira, das 17h às 18h20 – Milton Hatoum

Mediação Paloma Durante

9 de setembro – quarta-feira, das 17h às 18h20 –  Fabiana Vanz Dias

Acesse nossas redes sociais:

Instagram: @emaklabin

Facebook: https://www.facebook.com/fundacaoemaklabin

Twitter: https://twitter.com/emaklabin

Canal doYouTube: 

https://www.youtube.com/channel/UC9FBIZFjSOlRviuz_Dy1i2w

Site: https://emaklabin.org.br/ 

Sobre os escritores:

Betty Milan é paulista, autora de romances, ensaios, crônicas e peças de teatro. Além de publicadas no Brasil, suas obras também circulam com selos de França, Espanha, Portugal, Argentina e China. Colaborou com alguns jornais brasileiros e foi colunista da Folha de S. Paulo, revista Veja e Veja.com. Trabalhou para o Parlamento Internacional dos Escritores, em Estrasburgo. Em 1998 e 2015, participou como convidada de honra do Salão do Livro de Paris. Em 2014, representou a literatura brasileira contemporânea na Feira Internacional do Livro de Miami (EUA). Em 2018 fez uma série de conferências nos Estados Unidos sobre a diáspora e a literatura. Em 2019 participou da Lebanese Diáspora Energy em Beirute, onde foi homenageada pela sua contribuição para o país natal dos ancestrais. Antes de se tornar escritora, diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e teve formação em Psicanálise na França. Entre suas obras estão O Papagaio e o Doutor, A Mãe Eterna e o seu livro mais recente BAAL – um romance da imigração. https://www.bettymilan.com.br

Betty Milan Foto: Lailson-Santos

José Roberto Walker é publicitário, formado em História (USP). Diretor da TV Cultura. Dirigiu a Cia. Brasileira de Ópera, a Orquestra Filarmônica Vera Cruz e várias edições do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Realizou vários documentários. No rádio, criou inúmeros programas dedicados à música erudita e à música popular brasileira. Produziu diversos espetáculos de ópera e exposições em espaços públicos em São Paulo. É coautor dos livros Theatro São Pedro: Resistência e Preservação (2000), Café, Ferrovia e a Metrópole (2001), O Presépio Napolitano de São Paulo (2002) e Ferrovia, um Projeto para o Brasil (2005). Neve na Manhã de São Paulo recebeu o Prêmio São Paulo de Literatura em 2017. O seu último livro Neve na Manhã de São Paulo nasce a partir de sólida pesquisa em documentos que registraram uma época e a cultura num momento de explosão populacional da cidade de São Paulo. Romance histórico e realista que conta a arrebatadora história de amor entre Oswald de Andrade e a normalista Miss Cyclone, no pré-modernimo na São Paulo do início do século XX. O romance recria a atmosfera vibrante da cidade da época. Mostra também o quanto o modernismo paulista já fervilhava, culminando na Semana de 22.

José Roberto Walker. Foto divulgação

Milton Hatoum nasceu em Manaus (Amazonas) formado em arquitetura na FAU-USP, trabalhou como jornalista cultural e foi professor universitário de História da Arquitetura. Em Paris estudou literatura comparada na Sorbonne (Paris III). Foi professor de literatura francesa da Universidade Federal do Amazonas (1984-1999) e professor visitante da Universidade da California (Berkeley/1996). Foi também escritor residente na Yale University (New Haven/EUA), Stanford University e na Universidade da California (Berkeley). Autor de quatro romances premiados, sua obra foi traduzida em doze línguas e publicada em catorze países. Em 1989, seu primeiro romance ¨Relato de um certo Oriente¨, ganhou o prêmio Jabuti de melhor romance. Em 2000 publicou o romance ¨Dois irmãos¨ (prêmio Jabuti – 3º lugar na categoria romance/ indicado para o prêmio IMPAC-DUBLIN), eleito o melhor romance brasileiro no período 1990-2005 em pesquisa feita pelos jornais Correio Braziliense e O Estado de Minas. Em 2001, foi um dos finalistas do Prêmio Multicultural do Estadão, por conta da publicação do em ¨Dois Irmãos¨. Em 2005, seu terceiro romance, ¨Cinzas do Norte ¨, obteve o Prêmio Portugal Telecom, Grande Prêmio da Crítica/APCA-2005, Prêmio Jabuti/2006 de melhor romance, Prêmio Livro do Ano da CBL, Prêmio BRAVO de literatura. Em 2008, recebeu do Ministério da Cultura a Ordem do mérito cultural. Em 2010, a tradução inglesa de ¨Cinzas do Norte¨ (Ashes of the Amazon, Bloomsbury, 2008) foi indicada para o prêmio IMPAC-DUBLIN.
Em 2008 publicou seu quarto romance, ¨Órfãos do Eldorado¨, Prêmio Jabuti – 2º lugar na categoria romance. ¨Órfãos do Eldorado¨ faz parte da coleção Myths, da editora escocesa Canongate. Em 2009 publicou o livro de contos “A cidade ilhada”. Em 2013, publicou o livro ¨Um solitário à espreita¨, uma seleção de crônicas publicadas em jornais e revistas. Todos os seus livros foram publicados no Brasil pela editora Companhia das Letras, cujas vendas ultrapassam trezentos mil exemplares.
Hatoum publicou também ensaios e artigos sobre literatura brasileira e latino-americana em revistas e jornais do Brasil, da Espanha, França e Itália. Alguns de seus contos foram publicados nas revistas Europe, Nouvelle Revue Française (França), Grand Stree (Nova York) e Quimera (México). Participou de várias antologias de contos brasileiros publicados na Alemanha e no México, e da Oxford Anthology of the Brazilian Short Story.

Premiado escritor Milton Hatoum. Foto: Olga Vlahou

Fabiana Vanz Dias é formada em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes, tendo concluído o curso em 2013, com o trabalho de conclusão de curso em Linguagem da Performance. É professora de francês e educadora, tendo trabalhado em museus e exposições culturais em São Paulo, onde mora, no bairro do Tucuruvi, Zona Norte. Faz terapia lacaniana há cinco anos. Ingressou na faculdade de letras francês na PUC –SP. Está lançando seu primeiro livro “Sobre a coragem do medo e outras loucuras sãs, pela editora Patuá.

Fabiana Vanz Dias. Foto divulgação

Sobre os mediadores:

Ana Beatriz Demarchi Barel é doutora em Letras pela Université Paris III Sorbonne Nouvelle. Realizou Pós-Doutorado em História na Fundação Casa de Rui Barbosa, no IEB-USP e Residência em Pesquisa na Biblioteca Mindlin – USP. Leitora do Governo Francês na Université de Nantes e ATER das Universités d’Amiens e de Toulouse. Estudou História da Arte na Ecole du Musée du Louvre. Professora de Literaturas de Língua Portuguesa e Teoria Literária da Universidade Estadual de Goiás UEG. Membro do GRUPEBRAF – IEA – USP. Autora de Um Romantismo a Oeste: Modelo Francês, Identidade Nacional, organizadora da edição fac-símile da Revista Nitheroy e de Cultura e Poder entre o Império e a República (1822-1930). Desenvolve pesquisas na área de História Literária, Literaturas Brasileira e Comparada. Atualmente, estuda as relações entre relatos de viajantes franceses do século XIX e iconografia. 

Ana Beatriz Demarchi Barel. Foto CristovaoTezza

Paloma Durante atua como artista-educadora, bailarina e pesquisadora. Trabalha buscando intersecções entre as linguagens do corpo e o texto, vazando estas relações como maneiras de habitar o espaço. Participou de exposições, mostras e rodas de conversa em espaços como o Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi – MARP, o Tomie Ohtake e o espaço BREU no bairro Barra Funda, São Paulo. Foi artista residente do Arteles Creative Center, Haamenkyro, Finlândia e, junto ao seu Grupo de Estudos Práticos em Linguagem Experimental –  GEPLE, recebeu o fomento do ProAC editais para publicações independentes, com o projeto Gramatologia.

Paloma Durante. Foto Murillo Bidóia

Instagram