Band e Pasteur confirmam favoritismo e vencem no Paulista A de Rugby

A penúltima rodada do Paulista A abriu com dois jogos e quatro clubes com objetivos distintos. Enquanto Band Saracens e Pasteur precisavam da vitória para levar a decisão para a rodada final, Templários e Rio Branco buscavam o triunfo para chegar ao confronto final entre as equipes com mais tranquilidade. Em duas partidas nervosas e bem movimentadas, prevaleceram Galos e Bandeirantinos, que ao lado do SPAC, decidirão a vaga na última rodada. Curiosamente, a rodada foi uma prévia do que a torcida pode esperar pelo Campeonato Brasileiro, pois as quatro equipes se enfrentarão na primeira fase, a partir do fim de junho.

O dia abriu com Pasteur e Rio Branco e os franceses mostraram que estão afiados para conquistar um lugar nas semis, com um jogo bem fluído e envolvente que dizimou a defesa Pelicana, que vinha de boas atuações mas mostrou muita dificuldade contra um jogo mais aberto. Thomas e Douglas anotaram os primeiros tries nos dez primeiros minutos, mas o Rio Branco descontou com Vina mostrando muito oportunismo na saída de jogo, aproveitando a indecisão do adversário para recuperar a posse e guardar. Mas o que parecia o começo de uma reação Pelicana se mostrou apenas uma nota destoante em um jogo de uma equipe só, com o Pasteur reafirmando sua força e levando uma vantagem de 31 a 5 para o intervalo, com mais três tries anotados e um jogador a menos de cada lado devido uma briga na metade da partida. No segundo tempo, o ex-Pelicano Eddy abriu a sequência de tries para o Pasteur aos quatro minutos, com Robson e Joel brilhando no segundo tempo, adicionando mais 5 tries a favor dos Galos, que fecharam o a partida em 87 a 5, maior placar da história de confrontos entre as equipes.

Saracens e Templários entraram em campo com a noite e o frio já caindo sobre a Arena Paulista, mas a partida começou quente, com muitas reclamações dos dois lados sobre lances desleais, mas a ação aos poucos falou mais alto, quando Léo Monteiro abriu o placar para o Band em boa infiltração pela esquerda. Fiel ao seu estilo de jogo, o Templários mostrou habitual força nos forwards e foi dominante nos scrums ao longo de toda partida, mas a primeira chance veio na linha com interceptação de Greg perto dos 22m, que foi parado nos metros finais pela defesa bandeirantina. Nesse momento também ficou evidente um dos grandes pontos fracos do clube de São Bernardo, que se instalou nos 5m de seu campo de ataque e teve pelo menos três oportunidades, sem conseguir transformá-las em pontos. E a punição veio logo depois, com Ejima finalizando contra ataque pela esquerda e Leandro “Cavalo” guardando mais dois, com conversões de Pablo. Nos instantes finais, Alexandre “Colosso” descontou para os visitantes. O Band começou forte disposto a liquidar a partida e após grande quebra na defesa por Devon Muller, Zinho apoiou sob os postes. A queda de rendimento que se viu nos outros jogos do Templários não se mostrou de forma acentuada e o pack seguiu conquistando bolas importantes especialmente na defesa, impedindo um placar ainda maior, mas o lineout foi dominado com a entrada de Jaco pelo lado bandeirantino, iniciando boas subidas na linha, onde o time da capital era muito superior. O novato Guilherme Dias anotou dois tries para dar tranquilidade ao Band, e Gabriel Lobo também guardou o seu após boa série de fases. Já nos acréscimos, o Templários descontou na base da raça, novamente com Colosso, mostrando que seu poder ofensivo pode ser determinante no duelo decisivo contra o Rio Branco, na última rodada.

No próximo fim de semana, o Vale do Paraíba recebe dois duelos, fechando a penúltima rodada. O São José recebe a Poli, no confronto entre os últimos invictos da competição, e o Jacareí recebe o SPAC. Os SPACianos cairam para a sexta colocação geral, empatados em pontos com o Band Saracens, mas ainda tem um jogo a menos.

No dia 19 de maio, Pasteur e Band Saracens precisam de uma vitória no esperadíssimo confronto direto e ainda torcem por tropeços do SPAC nas últimas rodadas para chegar à próxima fase. Já Rio Branco e Templários fazem o duelo mais dramático da rodada final, valendo um lugar na repescagem para o vitorioso, enquanto o derrotado será automaticamente rebaixado para a Série B em 2019.

Campeonato Paulista A – semana 9
Dia 05/05/2018 às 14h45 – Rio Branco 05 X 87 Pasteur
Árbitro: Mariano de Goycochea
Auxiliares de linha: Marco Silva e Luiz Henrique
4º árbitro: Angélica Gevaerd
Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo, SP

Rio Branco
Try – André “Vina”

Pasteur
Tries – Thomas, Douglas “Gu” (2), Pedro di Pilla (2), Joel (3), Pedro Duailibi, Eddy, Robson “Varejão” (3)
Conversões – Pedro di Pilla (10), Cosmo

Dia 05/05/2018 às 18h – Band Saracens 50 X 14 Templários
Árbitro: Marcel Santos
Auxiliares de linha: Augusto Cambuzano e Stephanie Pflamminger
4º árbitro: Luiz Henrique
Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo, SP

Band Saracens
Tries – Léo Monteiro, Matheus Ejima, Leandro “Cavalo” (2), Guilherme Fortes (2), Eduardo Alves, Gabriel Lobo
Conversões – Pablo Hernandez (5)

Templários
Tries – Alexandre Barjud “Colosso”
Conversões – Ian e Rômulo

Foto1: Pasteur X Rio Branco – Daniel Venturole / Portal do Rugby
Fotos 2 e 3: Band Saracens X Templários – Daniel Venturole / Portal do Rugby

Classificação

Sobre o Campeonato Paulista A

O Campeonato Paulista de Rugby é o mais antigo campeonato estadual de Rugby e é o de maior nível técnico, contando com a participação de oito clubes, todos presentes na elite nacional: São José, SPAC, Pasteur, Jacareí, Poli, Rio Branco, Templários e Band Saracens

A disputa desse ano ocorre de fevereiro a junho, em turno único, todos contra todos. Os quatro melhores colocados na primeira fase se enfrentam em semifinais, em jogos de ida e volta e a grande final será disputada em jogo único. O último colocado na primeira fase é rebaixado automaticamente, enquanto o penúltimo jogará contra o vice-campeão da Série B, pela vaga no estadual de 2019.

Sobre a Federação Paulista de Rugby

Com mais de 100 clubes filiados e mais de uma dezenas de competições oficiais, a Federação
Paulista de Rugby é a federação estadual com maior representação no rugby brasileiro,
contando com cerca de 1/3 de todo o rugby jogado em território nacional e promovendo o
crescimento sustentável em São Paulo de um dos esportes que mais crescem no Brasil.
Rugby paulista: há 120 anos produzindo campeões e campeãs.

 

Joel foi um dos destaque da partida, com três tries. Foto: Daniel Venturole / Portal do Rugby
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons