Alunos do CIEFI Massaguaçu fazem plantio de jundu na orla

Alunos do 5º ano A, da EMEI/EMEF Benedito Inácio Soares, no bairro Massaguaçu, estiveram nessa quinta-feira (05/07), em visita na orla da praia do Massaguaçu, em frente ao quiosque Balaio Caiçara, para conhecer de perto o projeto Jundu do Bem, desenvolvido pela proprietária, Shananda Rosa Raffi.

A atividade foi proposta pela professora Telma Guadagnini, dentro do projeto Revitalizando, que tem o objetivo de propiciar aos estudantes conhecimento, tanto acadêmico quanto prático, da dinâmica das marés e dos biomas característicos das regiões litorâneas brasileiras e da praia do Massaguaçu, colocando-os como atores do processo de revitalização da vegetação de restinga.

“Conheço o trabalho da Shananda há muito tempo e que vem ao encontro dos conteúdos de Geografia e Ciências que trabalhamos de forma transdisciplinar, no 5º ano. Ela esteve na escola, onde bateu um papo sobre a importância do jundu na orla e mostrou um vídeo com o trabalho de recuperação desta vegetação, realizado por ela e colaboradores, desde 2010, no bairro. Hoje, as crianças vieram conhecer de perto a recuperação”, contou Telma.

No encontro na praia, Shananda explicou a diferença de planta nativa para a exótica, sobre as 13 espécies de jundu plantados nas imediações do quiosque e indicadores que mostram que o ambiente não está poluído como presença de conchas, de ninhos do pássaro quero-quero e de coruja “buraqueira”.

A protetora ambiental voluntária ainda colocou a criançada para plantar novas mudas, distribuiu sementes e explicou como cultivá-las para posteriormente o grupo retornar ao local para novo plantio. “Fazer esse trabalho com crianças é muito importante, pois elas desenvolvem um senso de responsabilidade e afeto com a vegetação do local onde moram, consequentemente se tornam protetores ambientais”, observou Raffi.

A aluna Analy Silva Vieira, 11 anos, ewxplicou o que aprendeu sobre o jundu: “Ajuda a não levar a areia pois a raiz faz uma trança e protege contra o avanço do mar. Além disso dá flor que são muito bonitas”.

O colega João Anthony Vieira de Freitas, 10 anos, fez questão de participar do plantio. “Não sabia que na superfície ela tem aparência de frágil, mas suas raízes são profundas e fortes, ao contrário da grama. Também que é muito melhor do que cimento para conter o avanço do mar”, destacou.

Jundu– Por definição, a mata de Jundu (ou Yundu) é uma vegetação litorânea, de baixa estatura (30 cm a 1,50m), formada por gramínias e arbustos com uma rede de raízes profundas que seguram totalmente os grãos de areia à beira da praia.

É totalmente adaptada às altas e às baixas marés e vegetação essencial para a preservação da biodiversidade da zona costeira e estabilização da areia. Nos tempos atuais é um bioma em alto risco de extinção.

Localizado próximo a orla da praia, o jundu retém a areia que é levada pelo vento ou mar, e principalmente, evita erosões. Sem esse tipo de vegetação, a erosão acontece de forma mais agressiva, prejudicando a natureza ou construções mais próximas ao mar. Tem papel importante para manter o equilíbrio ambiental do lugar.

PMC

#PraCegoVer: A protetora ambiental voluntária, Shananda Rosa Rafi está em pé, na areia da praia e explica sobre o plantio de jundu a cerca de 15 meninos e meninas. A professora Telma Guadagnini acompanha a atividade junto com duas estagiárias. (Foto: Luís Gava/PMC)

 

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons