ACNUR e Santos FC renovam parceria em prol das pessoas refugiadas

A fim de garantir o esporte como ferramenta de inclusão de refugiados, o Santos FC renova por mais um ano a parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). O termo de cooperação visa dar o acesso de crianças refugiadas às escolas “Meninos da Vila”, entre outras ações esportivas e de comunicação.

Santos FC

Para formalizar a parceria, estiveram presentes o presidente do Santos FC Andres Rueda e o vice-presidente José Carlos de Oliveira e gestores do Clube. Por parte do ACNUR, o Representante Jose Egas; a chefe do escritório do ACNUR em São Paulo, Maria Beatriz Nogueira; e o assessor de comunicação, Miguel Pachioni.

“Hoje é um dia muito feliz para o Santos FC. Acabamos de renovar o contrato, onde incentivamos a molecada a entrar nas escolinhas de futebol e, com isso, plantamos esperança. Mais um ponto positivo porque é um gol que fizemos e ficamos sempre contentes com essa parceria do ACNUR”, comemorou o presidente Andres Rueda.

A parceria consiste em inserir até cinco crianças refugiadas entre 7 e 15 anos nas escolas de futebol “Meninos da Vila”, mediante disponibilidade; ceder uma quantidade específica de ingressos para os refugiados assistirem aos jogos do Santos FC, quando o público for liberado nos estádios; garantir o registro das atividades conjuntas e articular novas ações.

O Representante do ACNUR, Jose Egas, espera aumentar ainda mais o número de realizações ao longo de 2021 e reforçar o trabalho que busca fazer para a integração das pessoas refugiadas. “São duas instituições que têm muita história e se unem para realizar atividades que fazem uma mudança na vida dos refugiados que estão no Brasil, tendo sido forçados a deixar seus locais de origem. Essa parceria enche a todos de alegria e esperança”.

ACNUR

Criado em 1950 por resolução da Assembleia Geral da ONU, o ACNUR protege e assegura os direitos de refugiados e populações apátridas em todo o mundo. Por seu trabalho humanitário, recebeu duas vezes o Prêmio Nobel da Paz (1954 e 1981). Atualmente, a agência conta com quase 12 mil funcionários e está presente em cerca de 130 países. No Brasil, o ACNUR atua em cooperação com a Operação Acolhida (resposta humanitária do Governo Federal ao tema da Venezuela), com o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) e em coordenação com os governos federal, estaduais e municipais, a sociedade civil organizada, a academia por meio da Cátedra Sérgio Vieira de Mello e o setor privado.

Instagram