Ação da Sabesp para despoluir Córrego Ipiranga vai beneficiar 420 mil pessoas

Patrocinadora da recuperação do Novo Museu do Ipiranga, Companhia trabalha em conjunto com Prefeitura de São Paulo para entregar o riacho limpo no bicentenário da Independência .

 Uma das patrocinadoras do projeto de recuperação do Novo Museu
 do  Ipiranga,  com  R$ 12 milhões, a Sabesp vai também despoluir o Córrego
 Ipiranga.  A  Companhia trabalha em conjunto com a Prefeitura de São Paulo para  garantir  que  ele  esteja  saneado em 2022 – ano do bicentenário da Independência  e  quando o Museu será reaberto. Neste sábado, o governador João Doria deu início às obras de renovação do edifício.

“O  Museu  (do Ipiranga) terá uma função pública de visitação e orientação
 para  escolas  públicas,  privadas,  estudiosos,  historiadores  e  todo o
 trabalho  da  Universidade  de  São  Paulo será mantido e seguramente será
 ampliado ao longo dessa nova etapa a partir de 2022”, disse Doria.

O  evento  contou  com  a participação do Secretário de Cultura e Economia
 Criativa,  Sérgio  Sá Leitão; o reitor da USP, Vahan Agopyan; o Secretário
 de  Infraestrutura  e  Meio  Ambiente,  Marcos  Penido,  e o presidente da
 Sabesp, Benedito Braga.

Sabesp 

“A  Sabesp  está  contribuindo com essa iniciativa do governo do Estado de
 São  Paulo  e da USP no sentido de trazer a todos os brasileiros, de volta
 em  2022,  esse monumento da história brasileira. Ao mesmo tempo,  estamos trabalhando  firme  junto  à Prefeitura de São Paulo na limpeza do Córrego Ipiranga,  onde  em  1822,  Dom Pedro proclamou a independência do Brasil.
Vamos  trabalhar  duro  para  que,  em  2022, também o Córrego do Ipiranga
 esteja muito bonito para apreciação de todos na inauguração deste museu ao público”, afirmou Braga.

Córrego do Ipiranga

 Além  de representar a revitalização de uma área histórica e de contribuir
 para   melhorar   o  meio  ambiente  urbano,  a  despoluição  do  Ipiranga
 beneficiará  diretamente  cerca  de  420  mil  habitantes  (equivalente  à
 população  de  Diadema  ou Jundiaí), coletando o esgoto para tratamento na ETE Barueri.

As ações visam eliminar o lançamento remanescente na bacia do córrego, que nasce  no  Jardim  Botânico,  dentro  do  Parque  Estadual  das  Fontes do Ipiranga,  e  deságua  no  rio  Tamanduateí,  afluente  do Tietê. Limpo, o
 Ipiranga vai assim contribuir para reduzir a poluição nos dois rios.

Os trabalhos incluem a implantação de coletores-tronco, redes coletoras de
 esgoto, interligações e regularização de ligações.

Parte   ocorre  na  comunidade  Fazendinha,  às  margens  da  Rodovia  dos
 Imigrantes.   O   primeiro   passo,   já   concluído,  foi  regularizar  o
 abastecimento  de  água.  Com término previsto para o fim do ano, estão em andamento as obras de esgotamento, que já começam a trazer benefícios para os  cerca  de  660  moradores.  “Esse  esgoto  caía  em uma galeria, feita manualmente pela própria comunidade. Agora está indo realmente para a rede de  tratamento”,  diz  o  taxista  Anderson  Ferreira  Crispim, morador da Fazendinha há 18 anos.


PROGRAMA CÓRREGO LIMPO

 A  limpeza  e  a urbanização do Córrego Ipiranga integram o Córrego Limpo,programa  realizado desde 2007 pela Sabesp em conjunto com a Prefeitura de São  Paulo.  Sua finalidade é melhorar a qualidade da água dos mananciais,rios  e  córregos  da  Capital,  por  meio  de  adequações  no  sistema de esgotamento  do  entorno  dos córregos, trabalhos de limpeza, manutenção e educação ambiental. A iniciativa é complementar ao Projeto Tietê.

De  2007  a  2018, foram investidos no Córrego Limpo R$ 275 milhões para a
 despoluição  e  manutenção de 152 córregos, beneficiando quase 2,7 milhões de  pessoas.  Entre  2019 e 2020, outros R$ 16 milhões serão investidos no programa.


 

O PROJETO DO MUSEU

Com  investimentos  de  R$  12  milhões,  a  Sabesp  é  uma  das  empresas
 patrocinadoras  do  projeto,  que visa recuperar o monumento de 123 anos e uma das maiores referências nacionais em museus. A Companhia também fará o rebaixamento  da  rede  de  esgoto  nas  imediações do Museu por causa das obras.

 A  reinauguração  está  programada  para  2022,  ano  do  bicentenário  da
 Independência do Brasil.

 A  requalificação  pretende  triplicar  a  capacidade  anual de visitação,
 passando  dos  300 mil registrados em 2013 para 900 mil. O Museu reúne 103 mil  objetos  e imagens, 700 metros lineares de documentação textual e 120 mil  livros  e  periódicos  dos  séculos 16 ao 20. Desde a sua abertura ao
 público, em 1895, 27 milhões de pessoas já visitaram as exposições.


 

TROFÉU INDEPENDÊNCIA

Também  neste  sábado,  ocorreu o 18º Troféu Independência, corrida de rua com  largada do Parque da Independência e percursos de 5 e 10 km. A Sabesp é um dos apoiadores da prova, que ocorre anualmente.