Academias ganham novas unidades e ampliam atendimento

As academias ao ar livre do Programa Cidade em Movimento, da Prefeitura de São José dos Campos ganharam, desde esta terça-feira (5), mais unidades com atendimento de professores de educação física. Neste ano, quatro novas academias foram implantadas e cinco remanejadas de local. Mais duas deverão ser transferidas até o final do ano e uma está em fase de avaliação.

No início de 2017, eram 174 unidades. Atualmente, são 178 para atender a todas as regiões da cidade. Mais da metade conta com um profissional comandando alongamentos e orientando os usuários. Nas demais, as orientações básicas estão estampadas em placas nos locais.

Atendimento nos bairros

As novas academias instaladas na cidade estão localizadas na Praça Natal, no Parque Industrial (região leste), Praça das Bandeiras, no Bosque dos Eucaliptos (sul), Vila São Bento (sul) e sob a Ponte Maria Peregrina, na Vila Rhodia (norte).
A frequência média nas academias com atendimento é de 30 mil pessoas por mês, ou em torno de 385 pessoas por unidade, em sua maioria formada por mulheres de meia idade e da terceira idade. Unidades mais frequentadas, como a do Parque Santos Dumont, na região central, chegam a receber até 1.000 pessoas por mês.

Remanejamentos

Todas as academias são acompanhadas pela Prefeitura para avaliar se estão cumprindo sua função de promover o esporte, o lazer e a qualidade de vida, conforme prega o Cidade em Movimento. Esse acompanhamento envolve estudos de demanda com visitas aos locais e conversas com moradores.

Os estudos mostraram que em anos anteriores houve a instalação de academias sem a devida avaliação técnica, apenas com base em pedidos. Os remanejamentos são decididos após a constatação de um ou mais problemas, como falta de demanda, infraestrutura inadequada no local, além de depredações, pichações e furtos.

Após avaliação feita ao longo deste ano, foram decididas sete mudanças de local, sendo que cinco já foram remanejadas e duas serão até o final do ano. A mudança de uma oitava academia encontra-se em fase de definição.

Benefício mantido

Segundo a Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida, todas as academias que foram ou serão transferidas estão próximas de outras academias que poderão absorver os frequentadores. Ou estão sendo transportadas para local próximo do anterior.

Por exemplo, na Vila Cândida (região norte), a academia ficava atrás de um campo de futebol, em local de difícil acesso. O novo local, a menos de 200 metros, é uma praça arborizada e com playground, onde mães e pais podem se exercitar e, ao mesmo tempo, acompanhar seus filhos.

Outro exemplo é o da academia da rua Adonias da Silva, no Campo dos Alemães (região sul), que foi mudada para a Praça Olga Ueb Machado, na Vila Unidas (norte). Nesse caso, os usuários do antigo local têm como opção a academia da praça existente na Rua Padre Wilson Cunha, a menos de 400 metros de distância.

O Programa Cidade em Movimento também avalia pedidos da população para instalação, retirada ou remanejamento de academias. Os pedidos devem ser feitos através da Central 156 e acompanhados de um abaixo-assinado de moradores. O programa visita os locais e faz os estudos técnicos.

Fidelidade

A rede de academias ao ar livre da cidade possui um público fiel de frequentadores. A maioria mora próxima dos locais onde se exercita e transforma a atividade também em um hábito social, com a formação de grupos e vínculos duradouros de amizade. Veja alguns depoimentos:

“Não gosto de academia fechada, prefiro ao ar livre. Venho sempre à noite e também faço caminhadas. Frequento há sete anos e isto melhorou em 100% a minha agilidade. Mas o melhor de tudo são as amizades. Depois de alongar o corpo, alongamos a língua… (risos).” Sandra Ferreira, 66 anos, moradora no Bosque dos Eucaliptos, frequenta a academia da Avenida Cidade Jardim.

“Faz tempo que não venho, frequentei muito no ano retrasado, mas viajei bastante nesse período. Voltei hoje e fiquei impressionada, a academia daqui atende uma demanda importante. O povo precisa disso. Quero voltar mais vezes e retomar o hábito.” Maria Aparecida Nunes, 53 anos, moradora no Bosque dos Eucaliptos, frequenta a academia da Avenida Cidade Jardim.

“Venho aqui desde quando nem tinha calçada, era só barro, a gente mais tropeçava que caminhava. Depois que veio a academia, passei a frequentar mais. É uma boa academia, faz bem para a minha hipertensão, regula a pressão, é um remédio para mim. E é muito bom porque a gente também faz amizade por aqui.” Luiz Carlos Santos, 63 anos, morador no Campo dos Alemães, frequenta a academia do Centro Poliesportivo Campo dos Alemães.

“Faz três anos que venho aqui todos os dias. Faço caminhada e, três vezes por semana, tem o alongamento. Também uso os aparelhos. Depois que comecei, tenho mais saúde e disposição, melhorou muito a minha bursite e a tendinite. E o professor orienta bastante. Gostaria que aqui tivesse professor todos os dias.” Teresinha Ferreira da Silva, 58 anos, moradora no Campo dos Alemães, frequenta a academia do Centro Poliesportivo Campo dos Alemães.

“Sou uma veterana. Desde que tiraram a bocha e instalaram a academia, passei a vir. Eu me cuido bastante com alongamento aqui e hidroginástica no Sesc. A academia é bem cuidada e os professores são ótimos.” Analúcia Ferreira de Sá, 76 anos, moradora no Jardim das Indústrias, frequenta a academia da Praça Hélio Augusto de Souza.

“Faz cinco anos que venho aqui, faço alongamento às terças e quintas-feiras. No dia da ginástica tenho até mais disposição para levantar da cama. Além de fazer bem para a saúde, aqui encontro as minhas amigas, nós formamos um grupo muito bom.” Toshio Kurori, 84 anos, moradora no Jardim das Indústrias, frequenta a academia da Praça Hélio Augusto de Souza.

Academia ao Ar Livre na avenida Cidade Jardim recebe bom público diariamente – Foto: Lucas Cabral/PMSJC