A ração ideal para os cães

A alimentação de um cão pode variar de acordo com as necessidades particulares dele 

A saúde dos animais depende de vários fatores: clima, higiene do local onde eles moram, água limpa e fresca, proteção contra agentes de risco e acidentes e alimentação de qualidade. Esta última é um tema que sempre é discutido entre tutores especialistas.

No que diz respeito à ração para cachorro, diante de tantas possibilidades, ficamos na dúvida sobre qual tipo comprar é preciso entender e saber escolher as opções de ração presentes no mercado pet, afirma a Dra. Livia Romeiro do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Dieta balanceada deve ser prioridade

A primeira coisa com a qual se deve preocupar é com a alimentação equilibrada e com os nutrientes adequados para a raça, a idade e o porte do cão. Para isso, o melhor a ser feito é marcar uma consulta com o veterinário.

O profissional avaliará o animal e indicará o melhor alimento. Escolher a comida de forma indiscriminada e levar em consideração somente o preço pode trazer consequências desagradáveis, como por exemplo, a intoxicação.

Assim, a opção pela economia pode gerar gastos futuros com tratamentos para reverter o quadro de doenças geradas pela deficiência de vitaminas, comenta Livia.

Como é feita a ração para cachorro

A ração é preparada com proteínas de origem animal: vísceras, estômago, tripa, pulmões e pés de galinha. Essas proteínas possuem quantidades fundamentais de vitaminas do complexo B, que fortalece o sistema neurológico e imunológico do cão.

Além disso, a carcaça de bovinos é rica em cálcio, ferro, fósforo e proteína. Outros ingredientes, como quirera de arroz, óleo de peixe,  trigo, soja, batata, raízes de verduras, beterraba, milho, linhaça e feijão também podem ser usados, dependendo do tipo de ração.

O cozimento das proteínas bovinas, suínas e de aves é o primeiro passo. Depois, o alimento é moído até se transformar em pequenas partículas para que os outros ingredientes sejam adicionados.

Após a secagem, o alimento é prensado no formato que se deseja. É importante esclarecer que os ingredientes não são usados de forma aleatória.

Durante o preparo, os profissionais devem estar atentos para adicionar a quantidade correta de cada item para que o valor nutricional seja mantido.

Tipos de rações

Por motivos de idade, raça, porte e algumas necessidades especiais, como cães diabéticos, hipertensos, alérgicos ou com problemas renais, hepáticos ou cardiopatas, existem muitos tipos de rações.

Ração econômica

Fabricada com produtos de qualidade nutricional reduzida. Geralmente, a maioria dos  ingredientes é de origem vegetal e as proteínas ficam em segundo plano.

Por conta disso, o custo é menor, mas os especialistas não recomendam esse tipo de produto porque, apesar de ser barato, não fornece os nutrientes de que o cão precisa.

Rações Standard

Contém proteína animal e vegetal. São facilmente encontradas em supermercados e lojas de ração. Apesar de serem fabricadas com componentes nutritivos, a alta quantidade de soja e glúten pode dificultar a digestão.

Rações Premium e Super Premium

Esses produtos possuem um valor nutricional completo e equilibrado. Por esse motivo, o custo é mais elevado em relação às rações mais comerciais.

A fórmula pode conter ingredientes de alta qualidade e puramente animais, como carne de ovelha, frango e peru, além dos resíduos de abatedouro bovino. A composição de nutrientes facilita na digestão.

Como consequência, apesar de as rações premium serem mais caras, a vantagem econômica pode ser identificada na quantidade das porções. Como os nutrientes são melhor aproveitados pelo organismo, o animal tende a consumir menos.

O que levar em consideração na hora de escolher a ração para um cão

O quadro clínico geral do animal vai determinar qual é a melhor ração que deve ser oferecida. Dessa forma, os seguintes requisitos devem ser respeitados:

Idade

Filhotes com idade superior a 45 dias devem comer ração que contém nutrientes necessários para estimular o sistema imunológico e fortalecer os ossos.

Na fase adulta, os pets precisam de uma dieta proteica e energética. Devem ser oferecidos produtos que facilitem a digestão, como taurina, minerais quelatos, proteína de carne e cálcio.

Cães idosos devem consumir rações da linha Super Premium porque elas possuem propriedades terapêuticas.

Porte e atividades físicas

Animais grandes necessitam de uma quantidade mais elevada de calorias. Caso o pet pratique atividade física, além de seguir as instruções das embalagens, consulte o veterinário nutricionista para que ele prescreva a dieta adequada.

Doenças

Se o cão for obeso, diabético, alérgico, cardiopata, nefropata ou apresentar qualquer distúrbio nos sistemas urinário ou gastrointestinal, ele precisa de uma dieta muito específica que só pode ser determinada por um médico veterinário.

O que a ração não deve conter

Na hora de comprar ração para cachorro, observe se na embalagem está escrito “subprodutos da carne”. Isso significa que não há uma quantidade significativa de proteína saudável e a ração pode conter índices elevados de gordura.

Pesquisar e se informar é sempre a melhor opção

Não deixe de entrar em contato com a central de atendimento ao cliente e tirar todas as dúvidas em relação aos ingredientes que são usados na fabricação da comida do animal.

Se a empresa se preocupa com a qualidade do produto, certamente, estará à sua disposição para esclarecer todas as suas dúvidas.

Leve sempre em consideração que cada cão é único e precisa de cuidados especiais. Marque consultas regulares com os especialistas em nutrição canina.

Imagem de kim_hester por Pixabay