A palavra que destrói não é a mesma que estimula

Coach Familiar revela que algumas palavras ditas pelos pais podem prejudicar o futuro dos filhos

A personalidade de um indivíduo é formada em seus primeiros sete anos de vida, e os pais são os principais responsáveis pela construção dela. Até essa idade as crianças não desenvolvem a lógica e a maturidade intelectual, aprendendo tudo, ou quase tudo através da emoção. Tais crianças acreditam em qualquer coisas que seus pais dizem e tomam para si como suas verdades. Portanto, os pais precisam se policiar quanto aos malefícios que podem causar futuramente, na personalidade da criança. As palavras negativas ouvidas na infância ainda ficam piores quando ditas ao filho com tom de voz agressivo, geralmente no calor da raiva. É preciso que os pais tenham consciência de que isso pode refletir na personalidade e caráter da criança.
Segundo Valéria Ribeiro, coach familiar e especialista em psicologia e desenvolvimento humano, “frases como: ‘você não presta, você é inútil’ e palavras como: ‘gorda (o), miserável, desgraçado’, fazem com que a criança absorva e se torne um adolescente problemático e um adulto espelho do que ouviu dos pais, levando o problema até mesmo por gerações. Crianças passam a mostrar-se inquietas, desatentas e, muitas vezes, agressivas. Em adolescentes, a marca pode ser a rebeldia ou a apatia. Eles reclamam da impossibilidade de um diálogo satisfatório, pois os pais fazem sempre a própria interpretação sobre o assunto”, comenta a especialista.
A raiva, o cansaço e a frustração que vêm com problemas cotidianos podem exasperar e fazer pais e mães dizerem coisas que realmente não sentem. Os efeitos dessas palavras podem ir além do que os filhos podem controlar. Valéria ainda ressalta que “essas palavras e frases negativas contribuem para que a criança ou adolescente crie instabilidade emocional, inseguranças, falta de confiança em si própria, pois isso destrói a sua estima”, explica ela. O resultado é um processo de cobranças e acusações que esconde o verdadeiro desejo de ambos: sentir-se amado pelo outro.
A coach familiar convida a fazer um teste: “pegue uma qualidade, habilidade ou competência de seu filho e passe a dizer isso com frequência a ele, verá que em pouco tempo ocorrerá uma mudança de comportamento para melhor, além de outras questões que também acabarão por melhorar, é como um efeito dominó. “Isso ocorre devido ao fato que a criança ou adolescente – certos que possuem qualidades, competências e dons-, passam a desafiar-se a melhorar em tudo,” conclui Valéria.

 Valeria Ribeiro

Terapeuta e Coach Familiar, especializada em Terapia Familiar Sistêmica e Fundadora do Filhosofia

Fone: (12) 99121-9615                                       

E-mail: contato@filhosofia.com.br

Sites: http://filhosofia.com.br/

www.youtube.com/filhosofiaeducacao

www.facebook.com.br/filhosofiaeducacao

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons