4 filmes com figurinos impressionantes para quem ama moda

Confira algumas produções inesquecíveis sobre o tema

O figurino de um filme é um dos aspectos mais importantes da produção, sendo um recurso muito utilizado para transmitir ideias que não são colocadas para o telespectador por meio do diálogo, como sentimentos dos personagens, características de suas personalidades,  fases da vida, entre outras coisas. A relação entre moda e cinema é antiga e pode ser percebida com ainda mais intensidade em certos filmes, que ficaram conhecidos por seus figurinos impressionantes.

Para quem se interessa por moda, seja como passatempo ou assunto de estudo, o campo do audiovisual é uma área cheia de bons exemplos sobre como as roupas podem colaborar para criar um universo mais rico e interessante para o telespectador. Esse cuidado nem sempre é valorizado, já que nem todos reconhecem o trabalho dos figurinistas na produção, mas eles fazem toda a diferença. Confira alguns filmes que todos os amantes de moda devem assistir.

O Diabo Veste Prada (2006)

No filme, a recém-formada Andy consegue um emprego na revista de moda mais importante de Nova York, Runway, e se torna a assistente da editora-chefe, Miranda Priestly. Apesar de não entender nada do universo da moda, Andy trabalha duro para se adaptar ao novo trabalho, o que reflete em sua personalidade e nas relações com seu namorado e amigos próximos.

A obra é uma comédia leve que, com o passar dos anos, foi se tornando um clássico – principalmente, graças ao figurino. No processo para se adaptar ao ambiente da revista em que trabalha, Andy recebe ajuda do diretor de arte, Nigel, que lhe dá dicas sobre como se vestir e se portar. E, assim, nasce uma das sequências mais interessantes do filme: uma montagem da jovem usando vários looks diferentes enquanto anda pelas ruas de Nova York ao som de Vogue, da Madonna. Por trás das roupas impressionantes está a figurinista Patricia Field, que escolheu peças de diferentes marcas para compor as produções da personagem Andy.

Memórias de uma Gueixa (2005)

O filme conta a história de Chiyo, uma moça que foi vendida ainda jovem para uma casa de gueixas, onde é maltratada pelos donos e por outra gueixa do local, Hatsumomo. Ao longo da história, Chiyo evolui como gueixa, ganhando status e reconhecimento, e é nesse ponto que sua vida muda, em decorrência da 2ª Guerra Mundial e da transformação da realidade no Japão.

Apesar das controvérsias em relação à história do filme e do livro, base para a adaptação cinematográfica, é impossível não reconhecer o belo trabalho da figurinista Colleen Atwood, que modernizou padronagens clássicas japonesas, além de fazer um trabalho com cores para associá-las à personalidade dos personagens. Outro aspecto impressionante no figurino do longa é a inclusão de diferentes tipos de kimonos, uma das peças principais na cultura do país.

Pantera Negra (2018)

Após perder o pai, T’Challa, príncipe do reino de Wakanda, precisa reunir aliados para encontrar um homem que roubou recursos do país, garantindo que eles não caiam em mãos erradas. Assim, ele descobre quem está por trás do plano e quais são as reais intenções de seu antagonista. O figurino tem um peso importante para o universo construído no filme, já que o reino de Wakanda é constituído por cinco tribos com diferentes características, incluindo suas vestimentas. Além disso, a roupa dos personagens também transmite aspectos de personalidade e até mesmo a posição e o papel que determinada pessoa exerce no local.

Em um vídeo para o canal da Vanity Fair, a figurinista do longa, Ruth E. Carter, desmembrou ao público várias questões da construção dos figurinos. A inspiração no conceito de afrofuturismo, junção entre tecnologia e tradição, permitiu que ela usasse aspectos modernos, como acessórios impressos em 3D, misturados com estampas típicas encontradas em diferentes locais da África, parte da inspiração para a criação de toda a estética do filme.

 As Patricinhas de Beverly Hills (1995)

Após juntar dois professores que tinham uma queda um pelo outro, a jovem e popular Cher resolve começar a fazer boas ações, o que inclui se tornar amiga da garota nova da escola e ajudá-la e ficar mais confiante e popular. Enquanto isso, Cher vive as aventuras da juventude e o fato de que precisa passar a conviver com o enteado de seu pai.

No filme, a personagem reinventa até mesmo as peças mais clássicas, como o moletom feminino, criando composições pouco usuais, mas que ajudam a construir a impressão que o telespectador tem de sua personalidade: uma garota confiante e criativa. O trabalho da figurinista, Mona May, permitiu que o filme seguisse relevante por anos, ditando tendências que podem ser vistas até hoje, como conjuntinho de blazer e saia xadrez, cardigans de tecido leve e sobreposições.

Foto: Divulgação

Instagram