1° Prêmio de Tecnologias em Geossintéticos tem 18 trabalhos selecionados para a final

Organizado pelo Comitê Técnico de Geossintéticos da ABINT, o prêmio visa promover projetos de instituições de nível superior que apresentem desenvolvimento tecnológico para aplicação do produto

O CTG – Comitê Técnico de Geossintéticos da ABINT (Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e TecidosTécnicos) selecionou 18 trabalhos de 12 instituições de ensino superior para participarem do 1° Prêmio de Tecnologias em Geossintéticos. A divulgação dos vencedores será feita no dia 17 de junho, conforme determinado no regulamento. O propósito da premiação é contemplar trabalhos que apresentem pesquisa ou estudos de casos que tragam desenvolvimento tecnológico para aplicação desses produtos na engenharia. A Universidade do Vale do Paraiba está entre as finalistas.

Participam do Prêmio alunos de graduação, pós-graduação e coordenadores de cursos de engenharia, em duas categorias com especificidades distintas: “Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC)” e de “Iniciação Científica (IC)”. Dos trabalhos selecionados, 13 são da primeira categoria e 5 da segunda. As 12 instituições finalistas estão localizadas em sete Estados do país. (Veja tabela abaixo).

Segundo o coordenador do CTG, Fabricio Zambotto, esse tipo de iniciativa contribui para a promoção dos benefícios dos geossintéticos em aplicações diversas na engenharia e de alto valor agregado. “A realização de ações como essa evidenciam as vantagens competitivas do uso de geossintéticos a partir da aplicação adequada e revela o quão importante essa indústria é para o desenvolvimento econômico do país, além de incentivar alunos e trazer novos profissionais ao mercado”, afirma Zambotto.

O segmento de geossintéticos de modo geral tem um papel importante em obras de engenharia, trazendo desempenho, segurança de produtos controlados por meio de tecnologia industrial, além de serem soluções que possibilitam a redução na utilização de recursos naturais, função fundamental na engenharia moderna.

1º PRÊMIO CTG 
Classificados 
  
Categoria IC
AlunoInstituição
José Wilson Batista da SilvaUniversidade Federal de São Carlos
Leonardo Sanches PrevitiInstituto Mauá de Tecnologia
Luiza Kifer NascimentoUniver. Est. do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – UENF
Mariana Barbosa JuarezInstituto Mauá de Tecnologia
Wesley Silva de OliveiraUniversidade Federal de Minas Gerais
  
Categoria TCC
AlunoInstituição
Caio Sales CamposUniversidade Federal de Goiás
Cynthia Darrigo VidalUniversidade do Vale do Paraí­ba
Fabricio Souza InnocenteUniversidade Catolica de Santos
Henrique FiorentinoInstituto Mauá de Tecnologia
Karolina de Souza AraujoInstituto Mauá de Tecnologia
Larissa Ferandes sassoUNIJUÍ – Univ. Reg. do Noroeste do Est. do R.G. do Sul
Luis Paulo Andrioli Vieira de OliveiraUniversidade Federal do Rio de Janeiro
Marcus Vinicius Melo de LyraUFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Mariana Barbosa JuarezInstituto Mauá de Tecnologia
Rodrigo Vasconcelos MedeaInstituto Mauá de Tecnologia
Samira Tessarolli de SouzaEESC – USP – Escola de Engenharia de São Carlos
Vitória Sousa Ciraulo de Oliveira LimaCentro Universitário de João Pessoa
Wesley Silva de OliveiraUniversidade Federal de Minas Gerais

Sobre o CTG: O comitê é formado por empresas fabricantes e distribuidoras de geossintéticos em todo o Brasil e foi criado com o objetivo de divulgar as aplicações desses produtos em obras de engenharia, bem como os conceitos de qualidade a serem observados pelos fabricantes e usuários, o que contribui para o desenvolvimento desse mercado de forma ética e responsável.

Sobre a ABINT: Fundada em 1991, a Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos tem como objetivo representar, difundir e defender os interesses da indústria brasileira de Nãotecidos e Tecidos Técnicos, promovendo e apoiando o seu desenvolvimento e o crescimento do mercado de aplicações desses produtos, que são fundamentais a diversos e importantes setores da economia do país.